Revolução III

Quando a ferida que é cutucada é a aberta e inflamada, o grito é muito maior.

Pelos comentários que tive nas postagens Revolução e Revolução II, percebo que os amigos do MEPR não entenderam muito a mensagem.

O ponto principal é uma crítica ao modo de ação do grupo, que se diz revolucionário. Quebrar, pichar,vandalizar patrimônio público ou particular alheio não é e nunca vai ser revolução.

Não, vocês não são detentores do real conhecimentos e não estão com a razão. O ponto de vista de vocês é como qualquer outro. Alienado é o apolítico e não aquele que não é marxista.

Reafirmo: arrume seu quarto, depois o mundo.

Movimentos populares são apenas mais uma forma de manter o “sistema” ativo e operante. Ser revolucionário é “in”. É legal ser barbudo, cabeludo, e andar de vermelho. É só mais uma imagem/ideologia que podemos comprar na banca.

Como diria meu pai, ao ver um manifesto de estudantes: Se são estudantes, porque não estão estudando?

Fica aí a mensagem do Patriota para os DeMolays. Semana que vem escrevo sobre a Ordem. Por enquanto é só.

Anúncios

Revolução II

Há muito escrevi uma postagem chamada Revolução. Ela gerou vários comentários que me fizeram pensar. O que achei mais estranho, foi que um grupo de internautas, membros do MEPR não gostaram de minha posição.

Peço que eles pichem a suas casas, visto que o que é do povo não deve ser pichado. Que eles quebrem suas vidraças, não a do patrimônio público. Que eles se eduquem e não se tornem robôs socialistas que só esbravejam e gritam. Que eles aprendam o que é dialogo, pois revolução nenhuma desse mundo se resolveu fora disso.

Aos membros do MEPR, que se dizem socialistas; descalcem seus All Star, não bebam suas Coca-Colas, não fumem seus Marlboros. Sejam, afinal, socialistas e não idiotas de vermelho.

Posso ser um alienado político, mas não sou pseudo socialista/intelectual. Isso me basta.

Aos DeMolays, espero que aprendam que Revolução, se faz com educação, diálogo e sobretudo cidadania. Ninguém deve levantar uma arma ou desferir uma pedra se busca a paz. Existem vários exemplos na história, basta se espelhar. Nossa Ordem em si, já é revolucionária. Ela tira o jovem do ócio do fim de semana, e o entrega ao aprendizado da moral, da ética e da cidadania. Ela faz revolução melhor do que qualquer outro movimento estudantil. Ela revoluciona o caráter do jovem, o que vai refletir na sociedade.

Aos meus amigos pseudo socialistas/intelectuais, uma passagem interessante: arrumem primeiro seus quartos, depois tentem arrumar  o mundo.

O Patriota já cansou de milícas revolucionárias e coisas do tipo. Essa história de pegar nas armas e ir à luta já o deixou de ‘saco cheio’. A chave da coisa é saber fazer bem as escolhas e se cobrar por isso.

Revolução

O que é Revolução?

Uma grande mudança? Pessoas marchando e gritando? Algo de muito diferente? Seja o que seja acho que todos nós concordamos que o Brasil precisa mesmo é de uma revolução. Mas uma revolução que atinja todos os brasileiros. Que não fique apenas na elite. Que mude, de fato, a vida do povo brasileiro.

Mas como fazê-la? Não sei. Mas sei como não fazê-la.

Em minha cidade, há vários vandalismos (pichações, cartazes em locais proibidos, depredações) de um grupo que se denomina MEPR. Movimento Estudantil Popular Revolucionário. Se dizem dissidentes da Une e do MR-8. Que apoiam os militantes estudantis como braço de ação do movimento revolucionário. Se dizem donos de um “Socialismo Educacional”. Me desculpem a palavra, são um monte de merda.

Como querer revolução depredando espaço público? Destruindo o que é do povo? Só se for para aparecer. Ainda se dizem intelectuais.

O MEPR recentemente destruiu um espaço público do meu município. Quebraram lâmpadas, arrancaram placas e ainda picharam MEPR – Não venda seu voto – MEPR. Claro, devem ter achado que estão acabando com o prefeito. Mas estão acabando é com o bolso do trabalhador, que paga imposto pacarai e quando tem um espaço de lazer, é destruído.

Creio na Revolução pacífica, que começa na modo de educar o cidadão. Um cidadão bem educado, ciente de seu papel na sociedade, vale mais que um grupo de milhares de arruaceiros. O cidadão sabe agir, sabe usar os veículos e modos certos para luta. Não precisa quebrar o que é dos outros, ou o que é de todo mundo, visto que é patrimônio público.

Não sei se o MEPR age sempre assim, em todos os lugares. Espero que não.

Ainda vejo o Brasil como país lá do “Primeiro Mundo”. Nem que seja lá no outro mundo.

Tomara que haja DeMolays revolucionários. Que saibam como fazer a revolução que esse país tanto precisa.

O Patriota quer Revolução, mas na forma certa. O Patriota ainda se desculpa pelo atraso da postagem. As vezes a reunião acaba tarde e a cabeça fica cheia, o que impede de surgir boas idéias.

  • Agenda

    • novembro 2017
      D S T Q Q S S
      « jan    
       1234
      567891011
      12131415161718
      19202122232425
      2627282930  
  • Pesquisar