O Ciclo da Vida

Olá a todos!

Vocês, meus irmãos, sabem muito bem que a Ordem DeMolay trabalha com “ciclos da vida”, ou melhor dizendo, os períodos da vida. Até mesmo quem não é demolay, em uma reunião pública, percebe isso claramente.

Um dos objetos que podem ser observados nas nossas cerimônias é a Coroa da Juventude. Ela comporta as sete jóias simbólicas que representam as virtudes cardeais de um demolay (Amor Filial, Reverência pelas Coisas Sagradas, Cortesia, Companheirismo, Fidelidade, Pureza e Patriotismo) e significa o período da vida em que estão os demolays ativos.

No momento da iniciação, o jovem recebe a Coroa da Juventude e promete levá-la dignamente, até trocá-la pela Coroa da Maioridade. Esta é simbolicamente usada por aqueles que já alcançaram os 21 anos.

Nossas cerimônias, especialmente a Cerimônia da Maioridade, mostram a jornada do Sol em um dia e o ciclo de uma vida toda: alvorecer, meio dia e entardecer.

O alvorecer da vida representa os anos da juventude, que é o período de formação; momento em que se edifica o que o jovem será no futuro. O meio dia da vida simboliza os anos meridianos, a maioridade. O entardecer remonta ao fim da jornada, momento em que se pode olhar para trás e contemplar um trabalho bem feito.


 

O tema de hoje foi inspirado no vídeo abaixo. Acho bem relacionado com o que escrevi. Seu nome é “O Ciclo da Vida”, do filme da Disney “O Rei Leão”.



 

 

O Fiel deseja que todos vivam verdadeira e intensamente suas vidas! Experimentem com responsabilidade e entusiasmo! Sejam os melhores que podem ser! Sejam felizes – sejam vocês mesmos!


Anúncios

Amizade e empatia

“O que é um amigo? Uma única alma habitando dois corpos.” (Aristóteles)


Certa vez, perguntei a um grande amigo e irmão: se você pudesse escolher a oitava virtude, qual seria? Ele me respondeu “empatia”. Na mesma hora, fui buscar definições para essa palavra.

A que mais me chamou atenção foi a seguinte: capacidade de se identificar com outra pessoa, de sentir o que ela sente, de querer o que ela quer, de apreender do modo como ela apreende etc.

Preferi encaixar essa definição na virtude do Companheirismo, o que me trouxe a idéia de Amizade. Uma amizade é baseada em afinidades e sentimentos recíprocos; faz entender um ao outro sem a necessidade de explicações; traz o conhecimento mútuo e o desejo de compartilhar…

A amizade nos conforta nos momentos de tristeza e nos alimenta de alegria. Ela nos ensina lições de lealdade, tolerância, companheirismo e fraternidade. Amizade é a força que nos motiva a lutar, a enfrentar os desafios – é a força que nos ensina a viver.


Neste carnaval, O Fiel teve grandes provas de amizade, de companheirismo e de fidelidade. E a empatia só aumentou com isso tudo. Obrigado, meus irmãos! Posso dizer: amo todos vocês.

Decidi triunfar…

Amigos,

Havia preparado um texto para esta semana sobre sonhos, mas lembrei deste outro. Não sou o autor, mas julgo muito importante estar em nosso blog. Peço que leiam e reflitam. Abraços”!

Decidi Triunfar…

E assim, depois de muito esperar, num dia como outro qualquer, decidi triunfar…
Decidi não esperar as oportunidades, e sim, eu mesmo buscá-las.
Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrentá-las era a única e melhor forma de superá-las.
Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tivesse sido.
Deixei de me importar com quem ganha ou perde.
Agora, me importa simplesmente saber melhor o que fazer.
Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim deixar de subir.
Aprendi que o melhor triunfo é poder chamar alguém de “amigo”.
Descobri que o amor é mais que um simples estado e enamoramento, “o amor é uma filosofia de vida”.
Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser uma tênue luz no presente.
Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais.
Naquele dia, decidi trocar tantas coisas…
Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para tornarem-se realidade.
E desde aquele dia já não durmo para descansar…
Agora simplesmente durmo para sonhar.

(Walt Disney)


Se pudesse escolher a 8ª vela, qual seria?

Amigos e irmãos,

Este é meu primeiro post no Caí de para-quedas. Por isso, vai uma breve apresentação: participei intensamente de meu capítulo como demolay ativo por quatro anos; há dois, recebi a maioridade. Foi um período “curto”, mas o suficiente para receber as lições mais importantes de minha vida. Atualmente estou morando em outra cidade, mas ainda sou membro do conselho consultivo e apareço por lá em algumas reuniões. A partir de agora, serei O Fiel.

Ainda com receio de escrever, ou até mesmo por estar um pouco enferrujado disso, vai um texto que fiz há algum tempo – foi meu teste de admissão para o Caí de para-quedas.

Se pudesse escolher a 8ª vela, qual seria?

Se pudesse ser escolhida uma nova virtude, qual seria? Seria possível achar a oitava virtude para complementar os princípios que recebemos em nossa passagem pela Ordem DeMolay?

Ao pensar nas minhas experiências como DeMolay, os capítulos e conventos visitados, os congressos participados, os ensinamentos recebidos, as amizades conseguidas… tudo mostra que, desde o seu início, as virtudes da Ordem permanecem cumprindo seus significados e objetivos.

A virtude do Amor Filial ensina a reconhecermos a dedicação que nossos pais tem por nós. A Reverência pelas Coisas Sagradas mostra que as crenças individuais são os nossos motivos para viver. A vela da Cortesia faz-se presente num sorriso, num abraço, num aperto de mãos.

O Companheirismo é essencial para que possamos enxergar-nos como verdadeiros irmãos. A Fidelidade sela nossos juramentos e compromissos. A Pureza traz a tona quem realmente somos. O Patriotismo gera o amor por nossa terra.

Acho que não seria possível encontrar a oitava vela. As sete virtudes e os três baluartes formam um conjunto perfeito de símbolos. A filosofia da Ordem DeMolay foi assim criada e não existem lacunas a serem preenchidas – ela está completa!

Abraço a todos!

Fazendo a diferença

DinaMO você tem contribuído muito com nossas discussões. Obrigado!

No último post dO Reverente concordei plenamente com o comentário do DinaMO que para amar a Ordem não necessariamente é preciso estar nela ativamente. Quantos já passaram por nossas fileiras, se afastaram e ainda hoje mantém um carinho e um amor incondicional pela Ordem DeMolay e por tudo de bom que ela proporciona ao jovem? Eles são menos DeMolays dos que os que estão nela ativamente? Ou menos DeMolays dos que iniciaram há pouco tempo? Acredito que não…

Me perguntam sempre por que eu continuo tão ativo na Ordem DeMolay, mesmo depois passados alguns anos, alguns Irmãos e algumas fases da vida. A resposta simples era que trata-se de uma paixão, quase platônica, que impedia que saísse dela. Outra resposta que recorri algumas vezes é que tratava-se da fuga perfeita. Num Capítulo, as pessoas me respeitariam pelo que eu fui, pelo que eu sou, pelo que eu queria ser (sonho, né?). Mas, um jovem Irmão me mostrou o porquê d’eu permanecer na Ordem: por gostar de fazer a diferença na vida de alguém.

Quando este jovem iniciou no DeMolay eu já poderia me considerar um “macaco velh0”. Passara por tantas situações, algumas tão complicadas e complexas para a minha tenra idade que acabei não dando a atenção a ele. Imaginei eu, talvez, que ali estava apenas mais um. Só que, para aquele mais um, eu fiz a diferença. Assim como ele o fez pra mim, tempos depois. Se eu servi de exemplo para ele alguma vez, se ele se espelhou no que fiz no DeMolay e na minha vida pessoal, foi porque o DeMolay me mostrou um caminho melhor a seguir. E ele fez e faz uma grande diferença pra mim hoje, porque me mostrou que ser DeMolay não é essencialmente se destacar onde você está. É ser amoroso, é ser reverente, é ser cortês, é ser companheiro, é ser fiel, é ser puro e é ser patriota. É, simplesmente, amar o próximo como a si mesmo, como ensinara um grande mestre.

FAÇA A DIFERENÇA! Mesmo que isso custe mais do que você estava disposto a pagar. E, lembre-se, mesmo aquele mais um de agora fará a diferença pra você um dia. Afinal, nada na vida acontece por acaso.

Boa sorte em suas novas jornadas, meus queridos Irmãos! Que o Pai Celestial permaneça como um guia em suas jornadas. E sigam sendo os exemplos de homens que são!

Fazendo a Lição de Casa n° 2.

“Oi Ga-le-ra tudo bem?!

 

Quan-to tempo que vocês não me vêem!

 

Já ta-va com saudaaaaaaadeeeee!”

 

Galerinha, vocês acham que eu escrevo bem?!

 

o.O

 

Aqui…

Eu era só DeMolay antes de vir pra cá!

Eu era escritor antes de vir pra cá, eu era um DeMolay escritor antes de vir pra cá, não é Cortês?

 

[Hahaha]

 

Toda aula tem os momentos de brincadeira, momentos de aprendizado e momentos de diversão correto?! Então, depois de ensinar a Conjugação do Verbo Tolerar, vamos aprender hoje uma nova lição, só que de forma mais inusitada. Quem nunca preencheu as famosas “Cruzadinhas”?

 

                        F _ _ _ _

               _ _ _ I _ _ _ _ _

                        D _ _

   _ _ _ _ _ _ _ E _

                        L _ _ _ _ _ _ _ _

                     _ I _ _ _ _ _ _ _ _ _

                        D _ _ _ _ _ _ _ _

_ _ _ _ _ _ _ _ A _ _ _

               _ _ _ D _ _ _ _ _

             _ _ _ _E – _ – _ _ _ _

 

F = Nomes do Tio Maçom Fundador da Ordem DeMolay e daquele outro que escreveu nossos Rituais Iniciático e DeMolay.

 

I  = Dentro das fileiras de um Convento devemos falar com Caridade e _________?

 

D = No Brasil, chamamos os Maçons carinhosamente por “Tios”, já nos Estados Unidos, é comum serem chamados como “___”.

 

E = A Bíblia Sagrada, Os Livros Escolares e o Pavilhão Nacional são _________ da Ordem DeMolay.

 

L = Dentro de um Capítulo DeMolay, vários aspectos são trabalhos, dentre eles a oratória, intelectualidade, moral, espiritual e principalmente a ___________.

 

I = Dentro de cada Capítulo encontramos o chamado “lado social da causa”, que é cumprido através da chamada ____________.

 

D = O Alvi-nego estampado pelo paramento DeMolay possui a simbologia de Luz e Trevas, Bem e Mal, lados opostos que representam a ____________.

 

A = O Encarregado pelas visitas à enfermos é o mesmo que é responsável pela ____________.

 

D = Uma Sala Capitular é divida em Sul, Norte, Oriente e _________.

 

E = Número exato de Oficiais de um Capítulo. (por extenso).

 

Já vi Iniciáticos darem “banho” de conhecimentos DeMolays em muitos Seniores. Assim como já conheci grandes Seniores conhecedores sobre Ordem DeMolay. Há certas coisas em nossa Ordem, que são o mínimo que poderíamos saber. A Ordem DeMolay assim como tudo em nossas vidas, deve ser estudada constantemente, pois cada dia que participamos de uma reunião ou lemos alguma curiosidade, percebemos o quanto ainda temos a desbravar e conhecer.

 

Sei que nada sei.

 

O Reverente ficou feliz em poder escrever nesta quinta-feira. Assim como agradece a confiança do Fiel em ter lhe proporcionar tamanha felicidade.

 

Gostou pessoal?!

 

Ah, tudo bem!

Até Segunda!