Os Baluartes – parte 3

Na nossa série sobre os Baluartes da Ordem DeMolay, o primeiro post falou sobre os Livros Sagrados e a liberdade religiosa. O segundo post expôs os Livros Escolares e sua relação com a liberdade intelectual. Este terceiro e último, tratará da liberdade civil, representada pela Bandeira Nacional.

A Bandeira Nacional

Bandeira é uma representação em formas, cores e / ou palavras de um grupo de pessoas. Ela apresenta símbolos relacionados a seus ideais, a suas tradições, a suas propriedades entre outros. Pode representar um estado, país, município, organização, sociedade, clã e até mesmo uma família tradicional.

Na Ordem DeMolay, a Bandeira Nacional assume um papel importantíssimo. Em todas as cerimônias, ela é apresentada no centro do Capítulo no momento em que é cantado o Hino Nacional ou o Hino à Bandeira. Como um baluarte, ela representa a Liberdade Civil.

Civil, derivado do latim civile, designa o habitante da cidade, civita. Quando a humanidade obteve a consciência do “Eu”, houve a necessidade do respeito mútuo, do respeito ao outro. Então, surgem as primeiras regras de convívio social – a ética.

A Liberdade Civil significa o cumprimento do código de ética, assumindo, assim, que o homem possui direitos e deveres, responsabilidades que assume ao pertencer à uma sociedade.

Abraços”!

O Fiel foi um tanto infiel com seus companheiros de blog e leitores. O último mês foi muito corrido e de grandes mudanças. Com certeza, esse tempo de desespero e solidão foi necessário. O Fiel volta agora ao blog com mais vontade de escrever…

Anúncios

Os Baluartes – parte 2

Meus amigos,

Quem leu o post da semana passada, sabe que falaremos hoje sobre Os Livros Escolares. Quem não leu, pode ler aqui… Mas antes, gostaria de falar um pouco sobre a Liberdade, já que os três baluartes, de certa forma, a representam.

Muitos filósofos já explanaram sobre a Liberdade e, mesmo assim, continua ainda difícil de ser traduzida em palavras. De maneira geral, a palavra “liberdade” significa a condição de um indivíduo não submetido ao domínio de outro. Por uma visão mais profunda, pode ser entendida como a não submissão de um indivíduo aos seus próprios vícios, tendo, assim, domínio sobre si mesmo.

Os Livros Escolares

No Altar dos Juramentos, os livros escolares ocupam a região nordeste. Eles representam aqueles livros que, diariamente, são levados às escolas por milhares de jovens em nosso país. Também nos lembram de nosso dever de lutar pela manutenção das escolas públicas.

Como um baluarte da Ordem DeMolay, os livros escolares simbolizam a Liberdade Intelectual – liberdade de pensar, expressar-se, fazer escolhas, experimentar, sonhar…

Na próxima semana, será a Bandeira Nacional. Tentarei concluir com um texto um pouco mais reflexivo.

Abraços”!

Os Baluartes – parte 1

Um baluarte (do provençal “baloart”, do neerlandês “bolwerk”), ou bastião, em arquitetura militar é uma obra defensiva avançada em relação à estrutura principal da fortificação, apresentando duas faces e dois flancos. Normalmente é sustentado por muralhas de alvenaria e preenchido com terra apiloada.

Em relação aos castelos medievais, constitui-se numa defesa mais baixa e larga, melhor adaptada ao emprego da artilharia, que se difundiu na Europa a partir do século XIV.

Entre os princípios da nossa Ordem, encontramos três itens que representam os seus apoios, as suas bases de fortificação e proteção: o Livro Sagrado, os Livros Escolares e a Bandeira Nacional. Esses são os três Baluartes da Ordem DeMolay.

Eles representam as liberdades pessoais, direito nato de todo ser humano, e nós, como demolays, aprendemos o dever de defendê-las a qualquer custo.

Este é o primeiro de três textos sobre os Baluartes da Ordem. O primeiro falará um pouco sobre o Livro Sagrado, o segundo, sobre os Livros Escolares e, em seguida, a Bandeira Nacional. Eles representam, respectivamente, as liberdades religiosa, intelectual e civil.



O Livro Sagrado

É o conjunto de escrituras que formam as bases de uma religião. A maioria de seus adeptos considera esse conjunto de escrituras revelações, verdades recebidas por pessoas que podiam se comunicar diretamente com Deus.

Em um capítulo da Ordem DeMolay, o Livro Sagrado é colocado no centro do Altar dos Juramentos. Ele representa a palavra de um único Deus, independente de um sistema religioso. Simboliza também a Liberdade Religiosa.

Por ser o cristianismo a religião mais seguida, o Livro Sagrado comumente utilizado em nossas reuniões é a Bíblia. Porém, pode ser utilizado qualquer outro Livro Sagrado, como por exemplo, o Alcorão do Islamismo e o Mahabharata ou os Vedas do Hinduísmo.



Nas próximas semanas continuaremos sobre os Baluartes da Ordem DeMolay.

Forte abraço”!

Disciplina é liberdade

Os cientistas e analisadores do comportamento humano já confirmaram que adotar-se uma rotina diária é essencial para o desenvolvimento humano. Ela ajuda a estimular o crescimento, a criar padrões comportamentais e a associar regras a uma conduta necessária para a sobrevivência. Todos nós, mais que simplesmente ter uma rotina, dependemos dela para viver.

Já até comentei aqui uma vez, muito bem embasado nas palavras de Adélia Prado, que a gente encontra a mágica da vida na rotina. É com ela que, por incrível que pareça, a gente vê graça e dá valor no comum, no simples, no feijão-com-arroz. E é ela que nos motiva a viver, a ir além, a tentar o novo justamente porque existe um porto seguro para onde podemos voltar caso dê algo errado.

No entanto, é necessário que se tenha disciplina para que a rotina dê certo. Paciência, paciência e paciência – muita, de preferência. Quando nos dispomos a mudar, é importante levar em consideração de que o processo é muito mais doloroso enquanto acontece do que logo de cara, o que nos dá a certeza de que a adaptação é, realmente, um teste de persistência.

Acordo diariamente às 5h30 e, às 6h, começo minha bateria diária de exercícios físicos: cooper na esteira, musculação, alongamentos. Vou para o trabalho entupido de endorfina no sangue e, no final do dia, ainda encaro mais uma horinha de capoeira. Volto para casa cansado, mas satisfeito de ter cumprido minha rotina diária com dedicação e persistência.

E voltanto um pouco no tempo posso me ver nem imaginando toda essa maratona: levava uma vida sedentária, não me alimentava direito, achava o trabalho um saco… E por que a mudança? Porque eu quis transformar minha rotina em algo benéfico para mim, ciente de que começava a entrar num processo de autodestruição. O caminho foi sinuoso (e ainda é em certos dias), mas é o que me liberta de mim mesmo.

E você, tem autodisciplina? Recomendo-lhe a leitura deste artigo (aqui para os desprovidos de conhecimentos em inglês): vale a pena aprender um pouco mais sobre o assunto e se esforçar para melhorar cada vez mais!

*******

O Cortês sente-se cada dia mais pleno.

Quem diria… Não é que censuraram a Liberdade…

Boa nnoite leitores do CdPQ… É com parzer que após uma seman volto a escrever para vocês.

O post de hoje é meio que uma indignação. Vai ser um prato cheio para os comentários do Dínamo, mas tudo bem… de vez em quando essas coisas acontecem e eu como um interlocutor mensageiro de palavras arbitrárias de consientização popular, tenho que me manifestar a respeito deste fato.

Há alguns dias eu pedi ingresso numa das Listas Nacionais de discussão, o meu e-mail opurodm@gmail.com, queria fazer parte desta famigerada família virtual para poder contribuir e também fazer o marketing do nosso blog Caí de Paraquedas. Pensei, “eu sendo um DM com bastante estrada, seguidor ferrêneo dos preceitos da Ordem, ativo em meu capítulo, ativo na ordem de meu estado… devo ser aceito.” Mesmo usando um pseudônimo, apenas por questão de sigilo… Mas sou DeMolay como todos, e gostaria de fazer parte da lista…. Que na verdade até já faço, mas não me manifesto muito.

Pois não é que para minha surpresa, meu pedido foi negado pelos CEIFADORES, digo, Moderadores. E o pior, não me deram uma justificativa, nem satisfação.. só me negaram e pronto. Pôxa podiam ter pelo menos dito: “Camarada, você é muito feio. A gente não vai te aceitar não.”

É direito e responsabilidade dos mantenedores das Listas aceitar ou recusar os que se propõem a ingressá-la. Porém a forma como me negaram, lembrou-me um pouco do Regime Militar de décadas atrás. Me senti um cidadão de Uganda no filme “O Último Rei da Escócia” (excelente filme, diga-se de passagem).

Eu acredito que os Moderadores, pelas sete chamas que juraram velar, deveriam cultivar mais o conceito de Liberdade. Principalmente o da LIBERDADE DE EXPRESSÃO. É verdade que de tempos em tempos aparece um engraçadinho tentando tumultuar a vida das listas, porém, só com o tempo, vendo minhas participações na mesma poderiam me taxar assim, e convidar a retirar-me. Mas preferiram nem correr o risco. Cortaram foi baixo, antes mesmo do dia amanhecer. Medo? Receio? Ditadura? vai entender.

Enfim, acho que a VIRTUDE da LIBERDADE deve ser mais cultuada e trabalhada entre os moderadores desta Lista em questão.

Recolho-me à minha insignificância, e volto apenas a participar deste veículo de COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO LIVRE para todos os DEMOLAYS do Brasil e do Mundo participarem…

Não sou e nem quero ser melhor do que ninguém… Prefiro ser o pior e continuar aprendendo.

O PURO – Algemado e Amordaçado.