Uma nova esperança…

Prometi semana passada falar de trabalhos bem feitos. Vou fugir brevemente ao tema, porém não deixa de ser um trabalho bem feito.

Ainda hoje recebi uma publicação, chamada Jornal XVIII de Março (baixe ele aqui), uma excelente publicação, não pela extensão e conteúdos variados, mas sim pela principal noticia que é publicada. Em miúdos, a queda do Decreto 22.

Sim meus irmãos, desta vez tornou-se público e notória uma visita entre Capítulos de ambas as Administrações Federais.

De início, logo eu, O Companheiro, busquei mais informações sobre o ocorrido com irmãos do Estado e Cidade envolvida na situação. E vi umtrabalho bem feito pelos nossos Irmãos DeMolays, principalmente os Seniores DeMolays, já maçons e integrando o Conselho Consultivo dos Capítulos. 

Com essa primeira aparição pública da queda do famoso decreto, vale destacar que inúmeros outros Capítulos e Estados já vem realizando silenciosamente a intervisitação, comecei a pensar definitivamente para o que viemos?

Vamos deixar a situação como está? Vamos nos furtar de participar do processo decisório? Vamos deixar que poucos decidam em nossa instituição tão frequentemente alardeada como democrática?

Acredito meus irmãos DeMolays, que podemos começar a pensar em uma solução pacífica para o impasse. A solução que vejo, é a busca de um acordo. Um acordo entre as duas administrações, para cessar essa guerra administrativa e fraternal.

A vontade dos DeMolays deve ser preservada, creio que todos estão cansados dessa “briguinha de cumadres”, como bem caracteriza um Tio que conheço. Todos querem se unir e trabalhar em prol de DeMolay e de nossas virtudes.

Em uma fraternidade não devemos ter vencedores e vencidos. Com um acordo não temos essas duas categorias e os dois lados saem ganhando, alias a fraternidade e a juventude ganham!

Fica esse recado aos Irmãos, para refletir e se possível acreditar que juntos podemos fazer um trabalho bem feito em prol de nós mesmos e da Ordem, basta acreditar.

O Companheiro espera que a chama do Companheirismo toque a todos os Irmãos e Tios Maçons, para mantermos essa chama acessa e sempre iluminando a outro jovem ou DeMolay.

Anúncios

E viva a opressão! :(

Nos últimos tempos venho me acostumando com maneiras de agir não convencionais por assim dizer. Um pouco do efeito da sindrome de peter pan que venho desfrutando recentemente, mas mesmo assim não deixam de ser atitudes não esperadas para irmãos e tios que convivem no seio de nossa amada Ordem.

Enfim, o que fazer quando a vontade de vários irmãos e quem sabe de alguns Capítulos é suprimida pela vontade maior de um lider, melhor, uma autoridade DeMolay? O impeto de DeMolay Ativo que ainda tem resquícios aqui dentro, me leva a resolver jogar tudo pro alto e jogar a merda no ventilador. Mas e a maturidade do Senior? Aí sim que vem a busca de um entendimento. Mas que entendimento se as ações são motivadas por perseguição pessoal?

A Ordem nos ensina a trilhar um bom caminho para contemplarmos um trabalho bem feito e por isso não devemos nos desviar desse bom caminho, quaisquer que sejam as tentações ou tribulações que passamos. É dificil, eu sei e como sei que isso é dificil, ainda mais manter a cortesia sem afetação em situações como essas descritas acima.

Lembremo-nos do grande diferencial de um bom DeMolay para os lideres fracos que encontramos em nossas vidas diárias, seja nos estudos ou no profissional, esse bom DeMolay deve saber entender as limitações dos outros, compreender que cada um tem um desenvolvimento diferenciado e mais ainda uma forma de pensar diversa.

Por mais dificil que seja encarar a opressão da vontade dos DeMolays, da União dos irmãos, esse é um caminho que iremos encarar frequentemente nessa jornada da União da Ordem.

Porém, acredito hoje que mais vale a pena permanecer calado e deixar a Ordem seguir seu rumo, do que trazer mais problemas a tona e tirar o vislumbramento dos irmãos mais novos para com a Ordem. E eles acabarão enxergando a DeMolay como um ninho de problemas e confusões.

A Ordem não tem culpa e muito menos os irmãos mais novos, mas quem sabe se agirmos assim, teremos uma geração de Seniores DeMolays mais confiantes em sua própria instituição e nas benesses que ela pode causar. Não que não tenhamos pessoas assim hoje em dia, mas não é a maioria.

Somos uma geração de Seniores que vimos discórdia, a briga por poder, a vaidade dos homens, acabamos esquecendo de enaltecer as virtudes, portamos a coroa da juventude com dignidade mesmo assim. Mas era um periodo turbulento para a Ordem, houve prejuizos, mas não podemos admitir mais ainda.

Então vamos parar de falar de problemas e nostalgias e mostrar o que temos de bom de fato?

O Companheiro vai se comprometer a melhorar suas ações e superar tudo isso hein! A começar pelas temáticas dos posts.

Nascido pra isso?

Joguem as pedras, eu realmente mereço pelas semanas em que estive desaparecido. O problema é que o projeto de monografia tá acabando com o meu tempo antes de eu pensar em qualquer outra coisa – um problema para futuros planos DeMolay, devo assumir. Ok, vamos ao post.

***

Ouvi muita gente dizer que quem é DeMolay nasceu pra isso. É escolhido pela Ordem. Não entrou na Ordem por coincidência. E várias e outras formas de falar a mesma coisa.

Vejam bem, eu concordo até certo ponto. Expliquemos, meus amigos!

Antes de tudo, devo explicar a filosofia na qual acredito. Acredito em algo chamado lei do karma. Ação e reação. E NÃO, NÃO TEM NADA A VER COM AQUELE LIVRO DE AUTO-AJUDA “O SEGREDO”. O ponto é bem simples: nós somos responsáveis por aquilo que fazemos ou não e nosso futuro (destino?) é construído de acordo com nossas ações. Parece óbvio e de certa forma é. Mas a obviedade é quebrada por uma coisa chamada escolha. A escolha de um cursou ou outro, de puxar o gatilho ou não, de perdoar ou guardar rancor pra sempre. De fazer boas amizades. De ter um círculo de amigos legais. De entrar em contato com certas pessoas…  e, neste caso, de aceitar ou não passar pelo processo de entrada na nossa querida instituição: iniciar na Ordem DeMolay.

Muitos questionarão então como que certas pessoas iniciam e nunca mais voltam. Ou de como alguns fazem X ou Y de ruim, contrário àquilo que ensinamos. Bem, não é tudo questão de escolha? O caminho que leva alguém a iniciar na Ordem Demolay é um, o que o iniciado percorre é outro completamente diferente. Por isso temos graus, temos que seguir determinadas regras que estipulam períodos etc.

Digo, portanto, que acredito sim, que todos que somos DeMolays estávamos fadados a nos tornar DeMolay. Para o bem ou para o mal e eu prefiro acreditar que seja para o bem. Sou otimista por natureza e essa minha filosofia me fez ver as coisas de uma maneira mais tranquila, portanto, quis compartilhar com vocês. Desejo PAZ PROFUNDA aos meus fr… Irmãos para que, se não concordarem, vejam que pelo menos nisso estamos de acordo: a escolha de dizer sim ou não a que escrevo é sua.

🙂

Coragem para dar o primeiro passo…

Muitas vezes na Ordem surgem boas idéias, aí somos tomados por uma corrente de negativismo. Irmãos pessimistas sem muita vontade em fazer, em realizar em prol da Ordem e o pior em favor de si mesmo. Pois eu acredito que estamos SEMPRE aprendendo na Ordem.

Desde o momento que começamos a trilhar nosso caminho na Ordem, estamos aprendendo. Temos três adjetivos: um para aquele que aprende com os próprios erros, que é sábio; o que aprende com os erros alheios que é feliz e para aqueles que nada aprendem com os erros, estes sim são os tolos.

Acredito que a Ordem na sua maioria tem jovens sábios e alegres. Já que podemos conciliar ambas as definições. É concenso neste blog que devemos acabar com os colares, que devemos nos preocupar menos com cargos e tantas outras baboseiras que somos apresentados na Ordem.

Devemos pensar mais em prol de nossos Capítulos e do que ele deseja para si, para a sociedade e seus membros. Devemos ter coragem para inovar, para trazer o novo ao nosso dia a dia.

Ficamos relutantes em dar o primeiro passo, inúmeras vezes ficamos nas elucubrações e não passamos disso. Criticamos nossas lideranças mas muitas vezes não tiramos um tempo para agir conforme a Ordem preconiza e nem precisa ser em nome ou em prol dela.

Não devemos temer em colocar nossos anseios em práticas, melhor ter tentado do que viver na dúvida se teria dado certo sua idéia. Dê seu primeiro passo e garanta o sucesso de suas ações.

*********************************

Fica a dica do Blog The Ninth Arch de um Brother nosso.

Abração do Companheiro

Os dez mandamentos da convivência em grupo

Aceitar a cada um como é, com suas qualidades e defeitos;

Preocupar-se com o crescimento e a realização do outro;

Alegrar-se com o sucesso do outro;

Valorizar o outro pelo que ele é, e não pelo que ele tem;

Ser instrumento de união, de fraternidade, de solidariedade e de partilha;

Estimular e felicitar ao outro por suas qualidades e realizações;

Perdoar sempre, fazendo uma opção firme pela justiça e pela compreensão;

Corrigir com delicadeza o erro do outro;

Promover os mais humildes, pobres e desvalorizados do grupo;

Orar por todos e cada um dos irmãos, falando sobre eles com o Pai Celestial.

O Companheiro promete que em seu próximo post será mais dedicado.

  • Agenda

    • setembro 2017
      D S T Q Q S S
      « jan    
       12
      3456789
      10111213141516
      17181920212223
      24252627282930
  • Pesquisar