Filosofia DeMolay ou balela???

Fonte de inspiração: lista de discussões do Yahoo!Grupos… viva à elas…

Há um debate em uma das listas que faço parte sobre se a filosofia da Ordem DeMolay combina com a filosofia de outras filósofos… primeiro passo foi refletir sobre o que entendo de filosofia… segundo passo foi ler os comentários diversos… primeira conclusão: não sei muita coisa de filosofia (quase nada)… segunda conclusão: muito se fala, pouco se sabe e muito se divaga sobre o que é Ordem DeMolay…

Dad Land deve estar se revirando no túmulo (desculpem o termo chulo) de tanto falaram da Ordem que ele criou. E falarem mal… Querem DeMolays perfeitinhos, mas eles nunca existiram. Querem que todos sejam sempre corretos e não são corretos por conta própria… isso é filosofia DeMolay???

Os bons quase nunca são bem recompensados… os maus quase sempre são recompensados com o que eles tanto querem: poder. E quando chegam nele, esquecem que um dia já foram bons. Ou quando não chegam, pregam a desobediência civil ou a inadimplência geral… É isso que fazemos? É isso que devemos fazer?

Respondam antes que eu pegue minha trouxinha e, depois de ver na tela game over, me retire para o enclausuramento de quem não entende nada da vida, da Ordem DeMolay e nem do mundo…

Vale a pena…

A Ordem DeMolay lhe dá a oportunidade de viver grandes experiências nem sempre boas, conhecer várias pessoas também nem sempre boas. Alias a juventude é uma fase de experiências intensas, bem como de descobertas.

Mas como aprendi com um irmão, o que fica não é somente o aprendizado do momento, mas o que vamos levar à diante para a nossa vida enquanto Senior DeMolay, as dificuldades que temos na Ordem,  ajudam a nos fortalecer para a vida. Será que era esse o objetido de Frank Sherman Land?

Não se sabe, quem dirá? O fato é que a Ordem DeMolay tem ajudado de diversas formas, estimulando o aprendizado, a verdadeira amizade, o auxílio ao próximo e por aí vai… Hoje em dia a Ordem DeMolay é um investimento que pesa para muitas famílias, mas que vale a pena.

Como podemos tornar a Ordem DeMolay mais acessivel à juventude? Primeiramente creio que devemos mudar paradigmas dentro da própria instituição.  Deixem os comentários, vamos abordar esse tema no próximo post.

Eu acredito em homens

Ele também acreditou nos homens! E hoje temos a DeMolay!

O gancho para esse post é a máxima de que, para uma parcela considerável dos jovens, temos seus pais como verdadeiros heróis. Praticamente super-heróis. E, com esses ídolos, construímos a imagem do que ser no futuro (ao menos o que gostaríamos de ser)…

Hoje, na reunião do Convento (administrativa e informal), um Irmão pediu a palavra para “anunciar” que será candidato a vereador nas eleições municipais (moro numa grande cidade – é a primeira dica de quem sou). Eu já sabia, até porque fui um dos consultados quando ele ainda estava na dúvida se seria ou não candidato. Pois bem. Naquele momento, lembrei da sinceridade de Xuxa quando afirmou que acredita em duendes. E resolvi abrir o verbo pra dizer uma falácia tão absurda quanto:

“Eu acredito em homens”

Não falo de distinções como na terra-média (ver O Senhor dos Anéis, O HobbitSillmarillion), em que haviam anões, elfos, hobbit e homens (entre outros). Refiro-me aqui a HOMENS (e mulheres também antes que indiquem que estou sendo machista – ou marxista) que, com um grande caráter e uma boa reputação, podem fazer a diferença. Não só podem, como devem fazer essa diferença.

Meu pai, como todo ser humano, tem inúmeros defeitos. Eu, que segundo ele próprio, consigo ser uma versão melhorada dele apresenta tantos quanto. E ainda assim, acredito que se todos os homens fossem como nós, o mundo seria melhor. Não puxando sardinha pro meu lado (até porque caridade e humildade devem estar presentes sempre nas nossas vidas), porém a base de caráter que me foi ofertada, se tantos outros tivessem oportunidade, sairíamos do maldito buraco em que estamos (“Eu ainda vou morar nos Estados Unidos, aquilo que é lugar para se viver” ouvi essa semana de um colega da faculdade que acabara de chegar da terra do tio Sam).

Meu post hoje é apenas um alerta infame para que acreditemos, por mais que seja difícil, nos homens! Força para os que tem a coragem (que me falta) para dar a cara a tapa e acreditarem que o mundo pode mudar. Por isso acreditem, homens bons ainda existem!