Como George Washington se ajoelhou

Não sei se é do conhecimento de todos os DeMolays, mas a forma como nós nos ajoelhamos, é uma homenagem à George Washington, primeiro presidente dos Estados Unidos da América. Como Washington foi maçom, Land queria que houvesse uma espécie de referência ao homem que ajudou a construir sua pátria. Então, escolheu a forma como Washington se ajoelhou no dia da fundação da capital americana (tal momento é retratado em um quadro que eu não me lembro o autor), como forma dos DeMolays ajoelharam.

Existem ainda outras referências à presidentes americanos (maçons) nos rituais DeMolays. Na cerimônia de Instalação de Oficiais, o Mestre Conselheiro ao por os Livros Escolares sobre o altar, menciona uma frase de Lincoln; “um governo do povo, para o povo e pelo povo”. Existe uma profunda reverência dos DeMolays americanos, pelos maçons que ajudaram a construir sua nação. E o patriotismo americano é bem refletido nas atitudes diárias dos cidadãos. Aqueles já tiveram a oportunidade de andar por ruas de cidades americanas do interior, pôde perceber que as residências possuem bandeiras em seus quintais e telhados. A população em geral se movimenta bem com as eleições, mesmo elas sendo facultativas. Existe um sentimento crescente de “meu país” por parte dos jovens; e isso é fruto de educação cidadã.

Sei que não é certo compararmos nosso país, cultura e história com eles, mas por ser lá o berço da Ordem DeMolay, uso-os de exemplos.

No Brasil, Pedro I (Tio nosso) proclamou a Independência. Cerca de 150 anos depois, Deodoro da Fonseca (Tio nosso também e posteriormente Grão Mestre do Grande Oriente do Brasil) proclamou a República. E são vários os outros exemplos que temos de Tios que ajudaram a formar nosso Brasil.

Toda vez que ajoelho como DeMolay, além de sentir uma profunda presença do Pai Celestial, me sinto no dever de honrar a causa por qual alguém se ajoelhou assim pela primeira vez; a construção de uma pátria. De um lugar no qual milhões de pessoas pudessem chamar de lar. Me sinto orgulhoso de ser DeMolay, em poder contar com preciosa formação que me ajudará a ser melhor cidadão.

É um privilégio poder se ajoelhar como George Washington se ajoelhou.

Anúncios

Clica aqui

Ultimamente a onda de Patriotismo aqui no CdPQ só tem aumentado. O que me deixa muito, mas muito feliz. Nosso Irmão Puro, nos presenteou com um texto simplesmente divino!

Quem ainda não leu, faça o favor de clicar aqui e ler.

Ele economizou minha postagem! Hehe!

* * *

Se você estivesse cantando o Hino Nacional e derrepente aviões começassem a jogar bombas sobre o local que você estivesse, o que você faria? Correria? Há muito tempo, brasileiros permaneceram de pé, cantando o Hino, mesmo com um bombardeio acontecendo.

Clica aqui e veja o vídeo.

* * *

Hoje não tenho muito o que falar mesmo. A postagem do Irmão Puro foi incrível. Vale por pelo menos meia dúzia (ou uma dúzia completa) de postagens minhas. Sugiro apenas que leiam o texto que ele colocou.

O Patriota agradece ao Pai Celestial todos os dias, por ter Irmãos tão conscientes e inteligentes. É assim que se faz a diferença tanto no Brasil, quanto na Ordem.

Seleção Brasileira de Futebol

As Seleções perdem e o povo desce a lenha de falar mal do Brasil. Brasília se consome em corrupção e o povo fala que é normal.

Estava lendo alguns e-mails e notei que o Dunga é o culpado de tudo que acontece no Brasil de errado. Aprendi uma coisa sobre o povo brasileiro: O Brasil vai bem, se a Seleção vai bem. Se ela vai mal, o Brasil vai mal. Não importa cenário político, econômico ou social. É a Seleção Brasileira de Futebol que decide os rumos desse país.

Estou estudando Filosofia para melhorar o nível de minhas postagens aqui no CdPQ. Um pouco sobre política, sobre lógica, um apanhado geral, para expor melhor alguns assuntos e defender alguns argumentos. Aí a Seleção perde o maldito jogo da semifinal. O pior não foi que ela perdeu o maldito jogo da semifinal. Ela perdeu o maldito jogo da semifinal para a Argentina. Se fosse para Gana, Togo, Antígua e Barbuda, Vaticano até, tudo estaría na mais perfeita paz. Mas não, Argentina. Mas ainda tem nossas mulheres. A Seleção feminina. Fé nelas! E o Tio Sam leva mais uma dourada para casa. Por mim estava tudo bem. O futebol brasileiro ainda é o melhor, e essas coisas do tipo. Abro eu minha caixa de entrada e me deparo com um e-mail sobre o tema.

Pensava eu: Pelo menos algo positivista, tomara. O cara que escreveu o e-mail teve a manha de conseguir fazer uma relação que até o Pai Celestial duvida. Ele relacionou a falta de competência de Dunga (sic) com a derrota da Seleção e com a crise política Brasileira. Ou seja, se o Brasil tá ruim do jeito que tá, é porque a Seleção também está ruim.

Depois de uma dessas, desanimei geral. Fiquei a semana toda pensando nisso. O problema, é que se fosse só o autor do e-mail que pensasse assim, dávamos um jeito. Mas não, é uma grande parcela da população, que acredita que ser patriota é vestir camisa da Seleção sem ser em dia de jogo.

As vezes eu desanimo, confesso; mas logo recordo que assim como eu, milhares juraram que manteriam em seus corações uma chama acessa. Que lutariam pela sua Pátria e pelo seu bem estar,  respeitando suas leis e seu povo. Eu sou patriota, espero que vocês, meus Irmãos, também o sejam. Sei que, por enquanto, isso não vai mudar o País. Mas eu sei que vai ajudar.

Fica aqui registrado esse “acontecimento”. Afinal, não é só de futebol, que é feito o Brasil.

O Patriota ainda considera a Seleção Brasileira de Futebol a melhor do mundo, assim como qualquer atleta Brasileiro; pelo simples fato deles representarem aquela que é a melhor Pátria desse Mundo. O Brasil.

Civismo

DeMolay é um bicho estranho. Sabe cantar Hino Nacional, mas não faz idéia do significado. Canta o Hino à Bandeira mais para na primeira estrofe. Se o hino continuar rolando, olha para o lado, para o outro e começa a mexer a boca, repetindo a última palavra. Não sabe o dia da Bandeira, quem foi Tiradentes ou porque se desfila no 7 de setembro e não se desfila no dia 15 de novembro.

Afinal, quase toda a população brasileira é assim. Mas eu sou daqueles: DeMolay é diferente!

Existe uma cultura de civismo. Antigamente, havia nas escolas uma matéria chamada Moral e Cívica, aonde ensinava-se esse tipo de coisa. Com o tempo ela foi sendo largada e na Reforma Educional Brasileira, ela ficou restrita à primeira fase do Ensino Fundamental. Ou seja: Para Colorir [Desenho da Bandeira] Como conseqüência, hoje são poucas as pessoas que possuem um conhecimento relacionado a esse tipo de coisa. O Civismo é muito importante, porque é uma forma menos abstrata de se demonstrar uma atitude patriótica.

Os Capítulos deveriam manter aulas de Civismo. Como também de diferentes assuntos relacionados à construção do lider cidadão.

O dia-a-dia do Capítulo é muito administrativo. Pensa-se em resultados apenas para a Ordem. Muito pouco se pensa na sociedade. Não adianta termos DeMolays líderes em nossa Ordem, se eles não são líderes no meio em que vivem. As vezes coloca-se as virtudes (e a gama de coisas que cada uma gera) de lado. Não adianta o DeMolay saber quem é o Mestre Conselheiro Nacional ou como fazer seu Capítulo crescer em número de membros se ele não sabe como atuar demolysticamente (adorei!) na sociedade.

Continuando sobre o civismo; acho importante o DeMolay conhecer os símbolos da pátria. A história de seu país, quem lutou e quem luta para o Brasil hoje ser uma nação soberana, o porque de nossos problemas. É como eu disse em outra postagem, deve-se buscar um conhecimento completo. DeMolay só sabe cantar Hino Nacional e primeira estrofe de Hino à Bandeira e já se acha o máximo por isso.

Creio que o ensino do Civismo pode ser resgatado dentro de Capítulos da Ordem DeMolay ou em Conventos da Ordem da Cavalaria. Uma das coisas legais de ser DeMolay, é ser patriota, por completo.

O Patriota é um DeMolay que gosta de ver seus Irmãos cantando o Hino Nacional bem alto e sabendo bem o que estão cantando.

Aproximando da Face Divina…

Pensando na lógica em ser DeMolay e nos famosos ditos que um DeMolay deve honrar seus pais, todas as mulheres, tudo que da Pátria vem, assim também Deus como devido, penso então até onde conseguimos honrar todos estes compromissos em nosso dia a dia. Um DeMolay por si só, já tem todas as suas obrigações, muitos trabalham, estudam tem seus afazeres assi então paremos para reflexão: Conseguimos, conciliar tudo isso e ainda assim pensar em nossos deveres como DeMolays que somos?

Nas brigas e discussões em nossas casas, conseguimos nos recordar cada vez que fizemos uma luz considerada Amor Filial se acender e ser exaltada como 1ª virtude?

Nas nossas dificuldades por muitas vezes invocamos Deus, pedindo ajuda e consolo, será que em nossas felicidades também o procuramos para agradecer o quão bom tem sido?

Na correria dentro de nosso trabalho, lutando contra o relógio para cumprir tudo o que precisamos, será que ainda nos recordamos da Educação, e das tão antigas “palavrinhas mágicas” como Bom Dia, Por favor, obrigado!  Será?

Em nossas vidas será que somos exemplos de companheiros assíduos com nossos compromissos junto de amigos que sempre necessitam de nossas orientações e conselhos? Ou será que temos deixado de lado aqueles que nos apoiaram um dia?

Em nossa vida profana, seríamos exemplos corretos de fidelidade?

Seria talvez bobagem desse humilde Reverente, cobrar tudo isso, e porque não um pouco de Pureza daqueles que considera “irmãos por escolha”, e que também se comprometeram a seguir as virtudes retamente?

Quanto ao Patriotismo, agora frente às Eleições, e Campanhas, músicas e santinhos, muitas vezes cômicos, creio que é o mínimo como Patriotas que somos, ter senso e tentar votar naqueles que se dedicam à causa justa de um governo do povo, pelo povo e para o povo…Não é isso que falava aquela Cerimônia repetidas tantas vezes dentro de nossos Capítulos? Àqueles que tem um Título de Eleitor, que pensem e votem não por interesse próprio, creio que está na hora de pensarmos mais no coletivo, do que em nós mesmos.

É tão bonito dias de reunião, todos lá fazendo uma ritualística primorosa, falando cerimônias decoradas, pessoas antigas em nossa Ordem nos relembrando grandes preceitos e princípios, com uma oratória bem construída. Logo questiono, até onde tudo que falamos é realmente seguido por nós mesmos?

Depois de tudo isso apenas refletiremos, e continuemos ao menos na tentativa de sermos verdadeiros DeMolays. Estamos buscando não?!

 

O Reverente não pede que se façam santos, pede apenas que tentem colocar nossos princípios nas ações cotidianas. Até porque ele sabe que asas pesam e auréolas incomodam. O Divino não é para humanos, mas podemos tentar nos aproximar, não?

Construção de conhecimento

Recentemente, em uma lista nacional, circulou um e-mail sobre uma lei sancionada pelo Presidente da República. Esta lei, da certas regalías a ex-Presidentes, como servidores à disposições, carros por custo do Estado e proteção integral pela Polícia Federal.

Alguns questionaram que tal e-mail não contribuía para a Ordem.

Bom, e como se fazer um patriotismo? Cego? Acho que crítico, é a melhor opção. Formar líderes. Não é esse o objetivo de nossa Ordem? Então os formemos. Mas líderes que o realmente sejam, que acreditam em certas instituições por convicção e não por simples acreditar.

O e-mail contribuiu para uma discussão saudável. Tocou em pontos interessantes da Ordem, que são feridas, ao meu ver. Afinal, e as Escolas Públicas, tão exaltadas e “defendidas”? Quantos DeMolays realmente fazem ou fizeram parte do Sistema Público de Ensino no Ensino Fundamental e Médio? São temas interessantes à Ordem.

Infelizmente são temas que surgem poucas vezes. Quando surgem, são criticados duramente. Parece que DeMolay deve ser alheio ao mundo.

Esse tipo de informação só vem à contribuir. Para sermos líderes, devemos estar a par dos acontecimentos que nos rodeiam e construir uma opinião sobre eles. Se permanecermos na mesmice de não se discutir certas coisas dentro de nossos Capítulos, creio que não estaremos formando líderes por completo. Deve-se dar ao DeMolay a oportunidade de opinar, não só sobre assuntos da Ordem mas sobre tudo. Devemos construir um conhecimento.

O Patriota acredita em DeMolays críticos que sabem contribuir para a Ordem e para o conhecimento de seus Irmãos. Não só com Ritualística ou Administração Capitular, mas com assuntos pertinentes à formação de caráter de um cidadão de bem.

  • Agenda

    • setembro 2017
      D S T Q Q S S
      « jan    
       12
      3456789
      10111213141516
      17181920212223
      24252627282930
  • Pesquisar