O Ciclo da Vida

Olá a todos!

Vocês, meus irmãos, sabem muito bem que a Ordem DeMolay trabalha com “ciclos da vida”, ou melhor dizendo, os períodos da vida. Até mesmo quem não é demolay, em uma reunião pública, percebe isso claramente.

Um dos objetos que podem ser observados nas nossas cerimônias é a Coroa da Juventude. Ela comporta as sete jóias simbólicas que representam as virtudes cardeais de um demolay (Amor Filial, Reverência pelas Coisas Sagradas, Cortesia, Companheirismo, Fidelidade, Pureza e Patriotismo) e significa o período da vida em que estão os demolays ativos.

No momento da iniciação, o jovem recebe a Coroa da Juventude e promete levá-la dignamente, até trocá-la pela Coroa da Maioridade. Esta é simbolicamente usada por aqueles que já alcançaram os 21 anos.

Nossas cerimônias, especialmente a Cerimônia da Maioridade, mostram a jornada do Sol em um dia e o ciclo de uma vida toda: alvorecer, meio dia e entardecer.

O alvorecer da vida representa os anos da juventude, que é o período de formação; momento em que se edifica o que o jovem será no futuro. O meio dia da vida simboliza os anos meridianos, a maioridade. O entardecer remonta ao fim da jornada, momento em que se pode olhar para trás e contemplar um trabalho bem feito.


 

O tema de hoje foi inspirado no vídeo abaixo. Acho bem relacionado com o que escrevi. Seu nome é “O Ciclo da Vida”, do filme da Disney “O Rei Leão”.



 

 

O Fiel deseja que todos vivam verdadeira e intensamente suas vidas! Experimentem com responsabilidade e entusiasmo! Sejam os melhores que podem ser! Sejam felizes – sejam vocês mesmos!


Próximo do fim…

Hoje a poucos dias dos meus 21 anos, começo a refletir sobre tudo que fiz na Ordem DeMolay. (Dizer que fiz pela Ordem DeMolay, hoje vejo que já soaria como um excesso de hipocrisia)

Pude fazer e conhecer grandes pessoas na Ordem DeMolay. Ela é uma oportunidade única, dificil de descrever. Os aprendizados também são para toda a vida, não me esquecerei da primeira vez que me confiaram uma tarefa, responsabilidade que me fora passada e que tive que ralar para atingir um resultado satisfatório.

Agora próximo de minha maioridade começo a refletir sobre meus trabalhos e se foram bem feitos. Se portei a coroa da juventude com dignidade como me pediram, se estou digno realmente da coroa da maioridade.

E nessa reflexão, descubro que fiz o melhor que pude, nesta jornada,  não mais simbólica, descobri que é dificil ostentar todas as virtudes, mas que vale a pena tentar, ainda mais se conseguir mudar uma pessoa que seja, com essas suas ações.

Um grande irmão me disse que para ser um grande líder na Ordem é preciso que a lideremos como um pai lidera uma família, com compaixão e justiça. E ser líder neste caso não é ostentar ou ter ostentado um colar, mas sim ser um exemplo a ser seguido pelos seus irmãos. O colar é meramente símbolo do poder e não de autoridade, já que esta ultima se conquista por meio de suas ações.

Mas vamos lá, minha fase como DeMolay Ativo passou, não sei dizer se foi rápido demais ou lenta demais, acredito que foi na medida necessária. O suficiente para amadurecer e crescer. E agora vem a fase como Senior DeMolay, onde vou ensinar a pescar e não dar o peixe como antigamente. Vai ser dificil mais vou aprender e crescer mais ainda. Sem contar as chocotas que isso me trará, já que sempre paguei muito dos Seniores.

O Companheiro está deveras tranquilo com a proximidade de seus 21 anos…

Vale à Pena?

O que faz valer à pena ser DeMolay? Essa pergunta me surpreendeu, quando fui fazer uma sindicância. Um pai de um candidato me questionou isso ao fim da entrevista. Na hora me assustei. Será que vale à pena ser DeMolay?

Temos que sacrificar quase todos nossos sábados em prol da Ordem. Gastamos rios de dinheiro (ê jeito hiperbóleo de se falar) com viagens, congressos, barraquinha da DeMolay Shop ou da Sete Virtudes e até com paramento. Afinal, meias se rasgam, pés crescem, camisas se tornam amareladas e calças apertadas. Dentro do Capítulo ainda rola muita intriga e desafeto (sejamos sinceros né galera!). Foda que são tudo um bando de homem trancado dentro de uma sala.

A primeira coisa que vem na nossa cabeça, olhando por esse lado, é não; não vale à pena. Mas nos lembramos que apesar de tudo, há a amizade com os Irmãos. Há as viagens, que apesar de serem despendiosas, se transformam em uma das coisas mais divertidas da Ordem. Há o aprendizado, que escola nenhuma dessa mundo, é capaz de oferecer. Há a convivência com os Tios, Tias e agregados. Há as iniciações sábado pela manhã. Há as elevações, que nos faz voltar para casa por volta da meia noite. Há a pizza no final da reunião e a bagunça de todo mundo andando aos gritos, de roupa social pela cidade. Então, parando para pensar, sim, vale à pena.

Na hora, isso tudo veio à minha cabeça. Fiquei um bom minuto e meio em silêncio, olhando para baixo. Respondi que o que faz valer à pena, é que a Ordem DeMolay, nos ensina a viver nossa juventude intensamente. O pai do candidato me olhou nos olhos e disse: Então vai valer à pena pro meu filho.

São momentos assim que nos alegram. Me senti feito. Apesar das dificuldades que lidamos dentro de nossa Ordem, vale à pena.

O Patriota se encontra em um momento de muita felicidade e está ansioso para rumar novos ares e horizontes dentro da Ordem.

Ode aos inúteis

Essa semana, depois de um post mais azedo que o de costume, continuo não tão doce quanto parecia. O Amoroso na realidade anda muito pouco amoroso realmente…

Passei os últimos dias pensando o que seria do mundo se todos fossem úteis e, após uma breve reflexão, resolvi tomar emprestado dos gregos o “Ode” para, em prosa, agradecer e enaltecer à mola propulsora da humanidade. Com vocês, um inútil post!!!

Inúteis somos todos os que pensam que são alguma coisa na vida. Ou melhor, que acham que são alguém. Apenas um passo em falso, o mais útil dos seres torna-se o mais imprestável das criaturas. E, ainda assim, eles mantém sua pífia existência. Acredito que achei o porquê!!!…

Imagine um mundo em que todos seriam DeMolays, todos seguissem os preceitos defendidos pela Ordem e fossem, como diria tio Wilton Cunha, “jovens úteis à sociedade” (eu sei que esse mundo nunca existiria). O que seria de nós? Sem dúvidas, fadados à extinção. Pois se não houvessem inúteis, como nós, talvez não fosse necessária uma Ordem DeMolay…

Exaltemos então a inutilidade dos homens. A imbecilidade dos jovens. Sejamos aquilo que move e enche de raiva os perfeitinhos garotos que se vestem de alvi-negro (não estou falando de botafoguenses e corinthiano, por favor) e, geralmente, aos sábados, vão pra seus Capítulos DeMolays e se fecham nesse clubinho fechado pra reclamar que inúteis existem! Viva então à eles!

OS INÚTEIS SÃO O QUE MANTÉM VIVO O ESPÍRITO DEMOLAY!!!

O Cortês ainda não postou. Pediu que postassem no lugar dele, o que já vão fazer, porém o Amoroso resolveu ser totalmente Descortês e postar mais esse inútil post! Que venha o DínaMo!!!

IPI! IPI! URRA! Renovação é o caminho

Cenas engraçadas dos últimos dias… enfurnado em um evento Maçônico, auxiliando na organização dele, alguns muitos Maçons conversaram comigo nos últimos meses. Muitos conversavam comigo numa boa, acredito que consideravam que falavam com algum outro Irmão de idade similar ou até mais velho que eles. Meu divertimento foi ver a reação deles após encontrarem comigo pessoalmente. Teimavam em acreditar que a pessoa que eles falaram ao telefone era o mesmo jovem que estava agora à frente deles. Teve um que se insistiu que eu era apenas DeMolay. Mó divertimento rsrsrsrsrsrs

Só que entre os tantos que se surpreenderam, um fez um comentário que vale a pena reproduzir:

“Renovar é o caminho”

Pois é… até a Maçonaria concorda com a máxima que no DeMolay é constância… rsrsrsrsrsrsrs

Post em cima da hora pra não deixar passar em branco. Desculpem!

  • Agenda

    • julho 2017
      D S T Q Q S S
      « jan    
       1
      2345678
      9101112131415
      16171819202122
      23242526272829
      3031  
  • Pesquisar