Somos internacionais mesmo

Tá que eu já tinha tido a experiência de visitar o DeMolay nos Estados Unidos. Eles são diferentes em muitas coisas, mas aquilo que nos mantém unidos, a ritualística, é a mesma em todo canto. Naquela oportunidade que tive, vi que os DeMolays americanos acabam enfrentando problemas semelhantes aos nossos, com excesso de concorrência como cinema, festas, etc. Nada muito diferente do que acontece conosco, né?

Essa semana, porém, estou vivenciando uma experiência um tanto quanto diferente. Hospedei um DeMolay americano em minha casa e, mesmo falando muito pouco inglês, estamos nos entendendo. Estou aproveitando pra questionar as atividades que eles desenvolvem e ele, como Sênior, como tem contribuído para a DeMolay lá.

Diante disso, só há um comentário a se fazer. A Ordem DeMolay é realmente mundial.

O Amoroso anda sem tempo pra postar. Vida de guia turístico não deixa tempo sobrando hahahahaha

Anúncios

Empresa

Se vocês querem se dar bem no Vestibular, não façam como o Patriota! Coloquem títulos nos seus textos!

Caiu no meu ouvido e posso dizer que foi de pára-quedas, que estão levando a Ordem DeMolay como empresa. Que estão admnistrando ela como se fosse uma. Aí a gente pára pra pensar; não é que isso é verdade mesmo.

A grande maioria dos seniores que conheço reclamam que a Ordem de hoje, não é a mesma de ontem. Eu, pessoalmente, devia essa opinião deles por suas condições de seniores. DeMolays que ficam no Oriente usando gravatas coloridas e nada mais. Mas vejo que não é isso que os levaram a pensar assim. A Ordem DeMolay está esfriando. Suas relações, suas virtudes. Parece realmente uma empresa, uma máquina. Se preocupa-se com uma funcionalidade que parece não caber aos Capítulos. Primeiro o Capítulo paga as taxas, inicia o garotinho, faz ele passar por mil treinamentos para ser secretário, tesoureiro e Mestre Conselheiro. Depois disso tudo, ensinamos que ele deve ter amor à sua mãe, que ele deve respeitar a religião dos outros, ser educado, amigo e outras coisas a mais.

Não sou contra taxas. Sei de sua importância e pago as minhas devidamente. Mas quando a Ordem DeMolay se torna uma epresa ou passa ser vista como uma, perde-se todo o tesão, toda a magia, euforia que permeia a Ordem. Misiticamente falando, parece que a Egrégora se quebra.

Para admimistrar a Ordem, devíamos ser mais DeMolays e menos empresários.

Meu maior medo é me tornar um sênior rabugento.

Bom, minhas opiniões sobre Ordem DeMolay são bem extremistas, alguns acham que são até ortodoxas (O.o’) mas é a forma como penso e tento agir.

Prometo que na próxima postagem, serei mais patriota.

O Patriota está achando que vai começar a guardar suas opiniões para si e para seu caderninho de capa preta. Quando ele for sênior, daqui há alguns anos, ele escreve um livro que fala sobre isso tudo.

– – –

De forma alguma poderia deixar passar em branco a data de hoje. Há 49 anos atrás, desencarnava nosso Fundador, Frank Sherman Land. Hoje, milhares de Chevaliers, no mundo todo, cumprirão sua  obrigação de repartir o pão com outro Chevalier ou com um DeMolay Ativo.

Nosso Fundador falava que era o princípio que importava. Devemos saber começar bem. E, creio eu, saber começar denovo.

Que hoje, nos lembremos que houveram pessoas que lutaram por sonhos. Land foi uma delas. Nós fazemos parte desse sonho e por isso, não devemos deixar ele acabar. Seja por negligência nossa ou por egoísmo de alguns.

Que no dia de hoje, possamos viver DeMolay intensamente. Assim como Land viveu.

  • Agenda

    • dezembro 2018
      D S T Q Q S S
      « jan    
       1
      2345678
      9101112131415
      16171819202122
      23242526272829
      3031  
  • Pesquisar