Paz de Espírito

Na reunião de sábado, dentro do meu Capítulo foi muito debatido o tema: Perdão. Às vezes machucamos os outros sem intenção, outras vezes somos machucados sem ao menos direito de resposta ou defesa. Na maioria das vezes brigamos, discutimos, agredimos verbalmente [isso quando não somos ignorantes o suficiente para agredir moralmente e fisicamente], porém poucas são as vezes que realmente refletimos e deixamos nosso orgulho de lado e aprendemos a perdoar.

Nesses últimos dias, o caso Eloa (sim, não é só o Jornal Nacional e o Gugu que falam disso) assustou e chocou o País todo. Como agora, depois de tudo isso, a família será capaz de perdoar?

Engraçado, como as coisas são tiradas de nós repentinamente, engraçado também, é pensar quantas vezes ficamos magoados e ressentidos com o próximo. Às vezes é necessário acalmar os ânimos, respirar, parar, pensar e perdoar. A nós mesmos e aos outros.

Há uma diferença enorme entre: perdoar e amar. Você pode perdoar alguém, mas amá-lo, dificilmente o será. Peço o respeito, mas não as pazes e os abraços. Peço tranqüilidade, e não pensamentos negativos ou com fundo de vingança.

Saber perdoar é dom divino. E mais divino ainda é praticá-lo com profunda PUREZA de intenção.

As escrituras bem dizem: “Perdoai-os ó Pai, eles não sabem o que fazem!”…

 

O Reverente não sabe que rumo tomará os destinos de cada humano que passa pela sua vida. Assim como não sabe quanto tempo eles permanecerão nela. Por isso se tiver que perdoar, perdoará hoje. Vai que o amanhã não chegue. E ainda levanta as mãos pro céu e clama Paz, mesmo que tudo a sua volta desabe e grite. Por falar em gritos e seqüestros, alguém sabe onde estão os demais pára-quedistas? O Reverente se preocupa.

É para os garotos

Esse foi um dos finais de semanas inesqueciveis para a Ordem DeMolay. Tivemos Congresso Nacional em Cuiabá e Rio Branco( oO ).

Diferenças a parte, creio que ambos os congressos foram muito bons, novos MCNs, novas lideranças para guiar a Ordem. Porém o momento de maior frisson (Poxa!) no CNOD(Em Cuiabá), foi o momento em que o Ir. Paschal Alexander King Jr(Pat King), iniciado em 1968, disse em uma de suas falas, que definitivamente a Ordem não é para adultos e sim para os garotos.

O Ir. Pat, pode nos ensinar muito mais, com seus conhecimentos sobre Cavalaria, sobre o auge da Ordem DeMolay que ocorreu nas décadas de 60 e 70 nos EUA e é claro sobre politica na Ordem. Creio que inumeros irmãos tiveram oportunidades unicas de perguntar e tirar suas dúvidas com um Irmão que tem 40 anos de Ordem, que ocupou inumeras posições na Ordem, que teve o privilégio de conhecer 3 dos 10 originais.

Melhor foi ouvir que a Ordem no Brasil tem de fato cumprido com o pensamento de Frank Sherman Land, com o que sonhou nosso fundador. Na cavalaria tiramos dúvidas sobre origens e ensinamentos.

A ausência da Alumni, me fez retornar a frase do Pat que citei no inicio. E realmente a Ordem é dos garotos, sim, daqueles que tem entre 12 e 21 anos. E não dos Seniores DeMolays e dos Maçons. Os adultos apenas dão suporte e estrutura, deixando os garotos se resolverem.

Ver ao final o Ir. Pat chorar, foi gratificante, ver que por mais que tenham se passado 40 anos de Ordem para aquele homem, ainda sim ela lhe dá orgulho, ainda sim ela vale a pena. Alias sempre valerá. Em todos os momentos que tentaram questionar situações políticas ao Brother, ele dizia simplesmente: ‘É política’.

O interesse do Ir. Pat, reside na preferência da Ordem em si e não de suas vontades políticas ou de grupo. Isso é realmente ideológico e dificil de se atingir. Mas ele está ali, para todos verem, com 53 anos de vida e persistente no mesmo ideal que o nosso.

Espero que os irmãos pensem 2 vezes antes de abandonar a Ordem. Vamos refletir galera.

*************************

O Companheiro pede perdão por suas ausências. E promete procurar não falhar com seus compromissos.