Tolerância e Persistencia para o segundo…

Acatei a idéia d’O Reverente.

Quem fez ou pelo menos tentou fazer a lição de casa deve ter percebido que tentar ser tolerante é deveras difícil, pode parecer que sempre falta algo a mais. Tolerar é: aceitar as pessoas como elas são, entender as diferenças (Viva as diferenças) e tantos outros exercícios de paciência.

Devemos persistir em nossos passos, afinal somos brasileiros e não desistimos nunca. Ter tolerância é destruir os nossos inimigos. Por que? Ao meu ver ser tolerante é demostrar compreensão com os diferentes, dessa forma como haverá desentendimentos se você e eu aceitamos que pensamos diferente? Mas para termos essa tolerância devemos destruir nosso inimigo interior primeiro, que com frequência nos faz agir com egocentrismo e orgulho, nos fazendo desrespeitar os demais.

Na Ordem, vivemos isso com grande freqüência até temos coragem para dar o primeiro passo, mas será que temos tolerância e persistência para continuar em um caminho de retidão? Falta-nos tolerância principalmente para entender os motivos de nossos irmãos e o pior sem julga-los.

Na disputa por um cargo, por uma idéia ou até mesmo contra uma sanção, não temos tolerância em compreender os fatos que serviram de base para formar a compreensão daquele que estamos tendo embate. E nos apressamos em julgar as pessoas. Esquecemos do poder da palavra ‘irmão‘ que pesa muito mais que ‘amigo’ . Por diversas vezes tratamos nossos irmãos de maneira diferente de um amigo, quantas vezes vemos em meio a um tumulto o MC dizer “Pessoal, senta todo mundo” ao inves de dizer “Meus Irmãos, sentem-se“. Deu para perceber a diferença?

Então volto a dizer, que tenhamos cada vez mais tolerância e que persistamos nessas práticas que podem cada vez mais melhorar nosso convívio.

E fica o lição:

Eu serei persistente.

Tu serás persistente.

Ele será persistente.

Nós seremos persistentes.

Vós sereis persistentes.

Eles serão persistentes.

E quem quiser postar textos aqui no blog, manda e-mail. Não esquece de votar na enquete!

Abraços fraternos meus irmãos e amigos d’O Companheiro.

Coragem para dar o primeiro passo…

Muitas vezes na Ordem surgem boas idéias, aí somos tomados por uma corrente de negativismo. Irmãos pessimistas sem muita vontade em fazer, em realizar em prol da Ordem e o pior em favor de si mesmo. Pois eu acredito que estamos SEMPRE aprendendo na Ordem.

Desde o momento que começamos a trilhar nosso caminho na Ordem, estamos aprendendo. Temos três adjetivos: um para aquele que aprende com os próprios erros, que é sábio; o que aprende com os erros alheios que é feliz e para aqueles que nada aprendem com os erros, estes sim são os tolos.

Acredito que a Ordem na sua maioria tem jovens sábios e alegres. Já que podemos conciliar ambas as definições. É concenso neste blog que devemos acabar com os colares, que devemos nos preocupar menos com cargos e tantas outras baboseiras que somos apresentados na Ordem.

Devemos pensar mais em prol de nossos Capítulos e do que ele deseja para si, para a sociedade e seus membros. Devemos ter coragem para inovar, para trazer o novo ao nosso dia a dia.

Ficamos relutantes em dar o primeiro passo, inúmeras vezes ficamos nas elucubrações e não passamos disso. Criticamos nossas lideranças mas muitas vezes não tiramos um tempo para agir conforme a Ordem preconiza e nem precisa ser em nome ou em prol dela.

Não devemos temer em colocar nossos anseios em práticas, melhor ter tentado do que viver na dúvida se teria dado certo sua idéia. Dê seu primeiro passo e garanta o sucesso de suas ações.

*********************************

Fica a dica do Blog The Ninth Arch de um Brother nosso.

Abração do Companheiro