Bom senso

Daqui a menos de duas semanas, mais um congresso estadual de nossa Ordem vai ocorrer. Vamos dar dicas para ser feliz? Vamos!

1. Mala

Aqui, apesar da maioria dos congressos acontecer em dois dias, não significa que a mala tem que ser mudança nem apenas uma blusa branca e calça preta. Um paramento completo dá, sem problemas. Se estiver muito calor, cabe colocar mais uma blusa branca comprida. Complementando: dependendo da temperatura, uma bermuda e uma calça ou uma calça também dá tranquilo. Duas camisas também dá e sobra, sem contar a que já se ganha no próprio congresso! Cueca e meia fica a seu cargo, colega, me abstenho nessa parte porque né… Um chinelo e um tênis de passeio e PRONTO! Ah sim, O BÁSICO DE HIGIENE: escova de dente, pasta dental, sabonete, shampoo – dá pra levar mais, mas é opcional e particular. Toalha, se for ficar em alojamento, é obrigatório. Se for hotel ou pousada, não deve ser necessário.

No caso de alojamento, roupa de cama também bem dobradinha pra caber tranquilo! NUNCA ESQUECER TRAVESSEIRO! 🙂

2. Dinheiro

Ó, tá bom que a comida, o transporte e a inscrição estão todos incluídos. Mas ainda assim, a Sete Virtudes sempre tá pre$ente, dá aquela fome em horas inesperadas, pode surgir uma gripe repentina e precisar comprar remédio e às vezes festinhas à noite (te dou uma vódega?)! Tudo isso custa muitos dinheiros!

3. Alimentação

Educação é mínimo. Vamos todos respeitar as filas, deixar os Tios mais velhos e as Tias comerem antes (Tio Mansur vem no Estadual de Minas \o/), não lotar o prato (não sei se contaram, mas é possível comer mais de uma vez sem problemas, ô pedreiro), entre outros.

4. Atividades

Ó, o esperado é que se foi pago e está presente, o mínimo é participar de tudo que foi proposto: palestras, workshops, assembléia, votações, posse, gincanas, esportes etc. Lembre-se: sempre vai haver alguém mais experiente que você dando uma palestra legal, explicando sobre o ritual novo… Os novos líderes serão escolhidos justamente neste congresso, então uma participação efetiva nesta parte é FUNDAMENTAL (ouvir as propostas, conversar com os candidatos e por aí vai…). Sem contar que alguém da sua região ou algum conhecido sempre toma posse, e eles vão ficar muito felizes em ver que seus amigos o apóiam. Gincanas e atividades esportivas são ótimas formas de unir o pessoal e fazer novas amizades: ficadica.

5. Recordação

Leve máquina digital, analógica, celular, GPS, notebook e tudo que possa te ajudar a guardar fotos, vídeos, telefone e informações. Você vai ver isso tudo depois e vai sentir saudade! Sem contar que poderá ser útil no futuro, pode ter certeza.

Bem, é isso! Já aviso que semestre que vem não estarei presente justamente por causa do congresso estadual de Minas que acontece dia 11 e 12 de outubro. Não se inscreveu ainda? http://www.demolaymg.com.br/congressomineirodemolay/OCongresso/index.php

Até lá!

A candidatura como altruísmo

Olá, crianças. Como vão? Estive há praticamente um mês fora, mas foram ossos do ofício, desses que tenho róído bastante e acabado no pó da alergia. Mas vá lá, sem drama vira circo, como diria um tio nosso.

Não sei se vocês acompanham a lista da DM-MG do SCODB. Se sim, compreenderão melhor o post.

Bem, é o seguinte: pela primeira vez em muito tempo parece que vai ter uma disputa para o cargo de presidente da Associação Alumni de Minas Gerais. E mais que isso: que há candidatos realmente dispostos a trabnalhar e realmente mudar a coisa que anda mal, MUITO MAL – a inoperância e ineficiência da Alumni vale um post inteiro.

Os dois candidatos a presidente se manifestaram e se apresentaram. Até aí, legal. Gente querendo trabalhar (ao que parece, né…). Afinal, é a primeira vez em muito tempo que a gente não vê no próprio dia do congresso o “candidato” que vai ocupar o fatídico peso (de acordo com as ex-gestões, que pouco fizeram). E isso é ótimo!

Há um porém, uma coisa incomum aconteceu: há candidato a presidente e vice que são da mesma região. O outro candidato a presidente é de uma região distinta. Hm… repito o que acho disso: INCOMUM. Mas vamos lá, incomum não significa ser ruim ou pior ou qualquer coisa do tipo. Digo isso porque houve um comentário – que achei bem infeliz – dizendo que apóia o candidato do sul de MG à presidência porque dois da mesma região não fica legal.

Peraí, agora a escolha do melhor candidato se resume a dividir os cargos entre regiões administrativas e pronto, tái uma boa diretoria? Eu acho que não, hein! O ponto que quero chegar é de que não podemos fazer nossas escolhas baseando neste tipo de político. Torno a repetir o dito em outros posts que o candidato ideal é aquele com quem se identifica, não pelo carisma apenas, mas pelas propostas, pelo trabalho já realizado, pela seriedade etc.

Nada contra nenhum dos candidatos. Até porque não os conheço. Mas depois disso faço questão de ler as propostas de ambos, o que cada um já fez pela sua região e estado e tudo que puder me mostrar quem é mais competente. Porque é isso que conta na hora de resolver problemas: experiência e competência.

Mesmo assim, vi uma coisa na mesma lista que me deixou muito feliz! O MCR lá do Sul de MG enviou um “manifesto” contra a políticagem que entorna a nossa Ordem e todas as mazelas resultantes. Bem, se queremos de fato que a instituição funciona, precisamos escolher melhor nossos líderes. Por isso o título do post. A candidatura deve vir de pessoas que realmente querem trabalhar sem ganhar nada: o desapego ao cargo, ao colar, à autoridade deve ser total.

Sonhar não custa, né? E a esperança é a última que morre. E por aí eu vou remando meu barquinho DeMolay. Como já viram, política é o tema que mais me interessa. Se depender de mim, pedia impugnação de muita gente, viu?

  • Agenda

    • agosto 2020
      D S T Q Q S S
       1
      2345678
      9101112131415
      16171819202122
      23242526272829
      3031  
  • Pesquisar