E viva a Pegação!!!

Atualmente, dentro da maioria dos Capítulos, anda ocorrendo nos DeMolays um aumento acelerado no número de hormônios que causam, além dos famosos problemas e características da puberdade, também uma necessidade grande de gastá-los de qualquer forma possível (e às vezes impossível).

Sendo assim, tenho visto muitos DeMolays desesperados e afoitos que tentam gastar essas energias na “pegação” deles de cada dia. Não bastasse isso, começaram a ficar neuróticos e compulsivos perante algumas situações.

 

“Ei DeMolay! Vamos ao Congresso?”

E com uma cara a “la maníaco” ele responde:

“_Vai ter Filha de Jó? Rainbow?

Não filhinho, é Congresso DeMolay e, em Congresso DeMolay, vai ter DeMolay!

Ah!…”

E aí você traumatiza o pequeno adolescente em pleno conflito existencial.

 

Lembro certa vez que um DeMolay namorava sério com uma Filha de Jó, já fazia alguns meses. Por alguns problemas no relacionamento, os dois resolveram se separar, mas óbvio que o sentimento dos dois permaneceria por ali durante algum tempo, mesmo que magoados ou separados. E ai, veio o auge naquele Capítulo:

“_Obaaaaaaaaaa, Filha de Jó solteira no pedaço!!! Quem chegar por último é a mulher do padre!!!”

E começa a disputa pra ver quem pega quem!

 

Isso me lembra um poema clássico de Carlos Drummond de Andrade que dizia:

“João amava Teresa,
que amava Raimundo,
que amava Maria,
que amava Joaquim,
que amava Lili,
que não amava ninguém.”

 

Só que percebi ao lembrar deste poema que o Carlos, poeta sábio e bastante conhecido havia esquecido de completar:

“e todos os garotos eram DeMolays, e todas as garotas eram de outra Ordem também para- maçônica.”

 

Pois sim, voltando à historinha, o DeMolay estava chateado pelo fim do namoro, e descobriu que passado 1 semana do término, o irmão melhor-amigo havia gastado sua ansiedade com a Ex. Aquilo criou um atrito imenso dentro do Capítulo, dividiu grupos e opiniões e por aí se questionou: Onde está a tal Fraternidade?

Vivemos pregando:

*Nós somos irmãos e respeitamos uns aos outros!

*Nós buscamos a Pureza de pensamentos, ações e palavras!!

*Nós temos algo chamado Companheirismo e somos fiéis aos princípios desta Ordem!

Logo, tudo foi ao “chão”.

 

Até na famosa Tábua dos 10 mandamentos tocaram: “Respeitai a mulher do próximo.” Mesmo que o próximo seja seu Irmão. Ironia a parte, creio que mesmo que rolasse algum sentimento ou tipo de flerte, o Demolay deveria ter esperado no mínimo o tempo pra ferida cicatrizar. Ele que acalmasse os ânimos de outra forma. Ops! Aí está o problema, ele procuraria outra prima, seja ela quem fosse.

Foi assim que perceberam que o Capítulo e o Bethel praticamente viraram um só.

Fulano tinha ficado com Beltrana que namorou Sicrano e que tava ficando agora com a Fulana que já tinha ficado com Beltrano e Fulanão que já passou por outras também não sabia se ficava novamente com ela ou ficava com a Bonita que tava ali.

 

BAAAAAAAASTAAAAAAAA!

 

Foi necessário podar as plantas pra revigorarem e desenvolver-se novamente. O assunto virou pauta de reunião, foi analisado, e logicamente quem tava ali entendeu o recado. Após o acontecido, creio que todos rezavam pedindo ao Moço do Céu que apagasse o fogo, quando na verdade o incêndio já havia sido apagado.

Meu Deus, quanto trabalho!

O fim?

Sei não. Espero que não tenha sido o mesmo colocado por Carlos…

 

“João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento, Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia, Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes que não tinha entrado na história.”

 

O Reverente entende o problema hormonal enfrentado. Mas sabe também que Pureza de intenções, Senso e Respeito aos Irmãos são coisas primordiais não só dentro da Ordem, mas dentro dos nossos próprios Corações, Lealdade é tudo nessa Jornada, e a Regra da Lealdade é clara: Ou você tem, ou você não tem. Quem a tem está no círculo que lhe acolhe e cabe. Quem não tem…

 

Bye Bye Guy!

Olha a Carapuça!!!

Muito já me foi perguntado sobre os segredos da Ordem, e todas as vezes respondi que não poderia contar, pois prometi. Assim sendo, fui pego repetidamente pela indagação:

_Mas o que vocês fazem lá? , com ar de suspense e curiosidade.

Continuei convicto numa resposta que dizia:

_Discutimos assuntos e filantropia.

E novamente me questionavam:

_Mas não falo disso, quero saber ritualística, os segredos!

Logicamente que se é segredo, eu não devo contar ora!

Tudo que desperta curiosidade faz com que as pessoas profanas, mães, pais, vizinhos, amigos, filhas de jó, garotas arco-iris e outra multidão de pessoas fiquei tentadas a descobrir, pesquisar, querer saber, indagar. Pra quê?!

No que nossa Reunião poderá melhorar a condição de Filha de Jó da prima que questiona? No que o que fazemos ou não lá dentro interferirá na vida da minha família e dos meus amigos?

Se é sigilo, deve ser sigilo e assim prosseguir.

Sempre digo aos garotos: “Se querem que a nossa Ordem seja respeitada, respeite as outras, e acima de tudo respeite-nos também.”

Todos sabemos: colhemos o que plantamos. Falando coisas que não deveria ser faladas só estaremos depreciando nossa Ordem e revelando aquilo que juramos guardar.

Um de nossos segredos, senhores leitores, creio que seja perceptível aos olhos do mundo todo, é a Fraternidade. Ah! Digna Fraternidade! Posso dizer que, as minhas melhores amizades, encontrei foi em nossas fileiras. Mas posso dizer também que como em todo lugar, encontrei nelas também falhas horrorosas. Percebi que enquanto pregávamos a tal “Fraternidade”, nos defrontávamos com o contrário dela dentro de nosso próprio convívio. O que mais se vê hoje são DeMolays que não entenderam ainda o valor da Fidelidade, Companheirismo, Confiança e Lealdade. O que mais se vê hoje, são demolays que possuem 2 vidas: Intra-capitular e Extra-capitular.

Dentro, fala bem, decora bonito, apresenta de forma magnífica, e age como um sarraceno perante toda a sociedade extra-capitular.

Como lidar com isso?! Cabe ao Mestre Conselheiro (ou alguém que tenha moral pra falar) intervir, tentar o diálogo, mostrar outro caminho, outra forma de se fazer a mesma coisa, porém de forma mais legal, mais clara, mais limpa, mais PURA.

E caso isso não resolva, devo me retirar do Capítulo, já que está me fazendo mal?

Não. Creio que não. Pensei em sair algumas vezes, mas um sábio herói que conhecia lá dentro chegou e me disse:

_Calma Reverente, não saia, quem é DeMolay haverá de permanecer, o resto é passageiro, por ali entrou, por ali sairá. Calma. Lembra-se das lições de Tolerância?

Assim o foi. Assim o é. Assim será.

Hoje permaneço lá, assim como o Amoroso no dele, há anos. E de lá não me retirarei fácil não. Já tolerei muitas coisas, engoli coisas que não poderia, ou não queria engolir, já passei por coisas ruins, mas nunca me esqueço das boas coisas que ali vivi. E isso haverá de permanecer.

Se pudesse aconselhar cada um que lesse este texto, diria que sempre que estiver magoado com algo, não se recorde apenas deste mau colocado, mas lembre-se dos momentos bons que antecederam isso.

Além de confortar, isso nos motiva a seguir em frente.

 

O Reverente está cansado de DeMolay fofoqueiro e de DeMolay que fala demais. Ele está seguindo dentro do trem, já tentou pular do vagão, mas o seguraram. Ele hoje está bastante decepcionado, mas motivado a continuar, porque crê que coisas melhores estão por vir. Deus há de nos salvar de trevas e saibam vocês que “Quem fala mais, erra mais.”

  • Agenda

    • janeiro 2020
      D S T Q Q S S
      « jan    
       1234
      567891011
      12131415161718
      19202122232425
      262728293031  
  • Pesquisar