Por quem o sinos dobram

O texto abaixo é sobre “divisão”. Então, se já não aguenta mais esse assunto, não leia.

A Ordem DeMolay tem tantas listas de discussão, que o Yahoo! Grupos criou uma categoria só para elas. Existem, neste sistema de grupos, um pouco mais de 1300 sobre a Ordem. Desses, cerca de uns 400 devem ser nacionais (chutei isso, não dá para levantar esse dado com precisão).

Dos grupos que participo, todos vão bem. Até que alguém toca na ferida: Supremo Conselho. Aí é sangue jorrando para todos os lados. E sujando a roupa de todo mundo. Até daqueles que não querem saber dessa bobagem.

Esse assunto maldito, por vezes conversado em sussurros e quase sempre evitado é o principio e fim da Ordem DeMolay brasileira.

Quando havia apenas um Supremo, apenas um Grande Mestre, apenas uma bagunça caótica e destrutiva, tinhamos uma Ordem DeMolay com pouca ou nenhuma estrutura. E, graças à vaidade humana, ela era um barril de pólvora com um estopim queimando lentamente. Como já era esperado a coisa estourou. Então resolveu-se fazer revolução.

Alguns pegaram a máquina velha e enferrujada. Resolveram consertá-la. Outros preferiram uma máquina nova, sem marcas de uso e arranhões.

E a partir desse momento, a Ordem DeMolay brasileira começou a crescer e se organizar. Apareceu uma estrutura, coisa que antes ficava apenas no papel. A Ordem DeMolay começou a ser feita para os DeMolays e pelos DeMolays. Ações foram feitas, líderes foram eleitos, novos paradigmas foram adotados, houve crescimento. E hoje somos a maior Ordem DeMolay do mundo. Maior, inclusive, que àqueles que a criaram.

(E note-se que estou falando de Ordem DeMolay e não de Supremo Conselho)

O pessoal que pegou a máquina velha? Vai bem obrigado. Os que preferiram uma máquina nova? Também estão muito bem.

Então, eu não entendo. Por que unir aquilo que separado está dando certo? Se a Maçonaria Brasileira, possui uma variedade de potências e obediências, porquê a Ordem DeMolay não pode contar com dois orgãos administrativos?

Legitimidade? A minha concepção de legitimo se enquadra dentro das duas instituições. As duas são Ordem DeMolay. As duas praticam Ordem DeMolay. As duas executam os mesmos rituais. As duas seguem os princípios ditados por Frank Sherman Land. Agora se ser legítima é ter pendurado na parede um pedaço de papel com a assinatura de  um “Dad” que quase ninguém sabe pronunciar o nome, então podemos desistir de tudo e começarmos outra Ordem.

Acho que já passou da hora de dar a solução mais viável para isso tudo: o reconhecimento. Está na hora de nossos líderes, se assim o forem, honrarem o compromisso de serem irmãos.

Precisamos nos tornar uma Ordem DeMolay brasileira e não um Supremo X ou um Supremo Y. Seria legal, se este fosse o primeiro passo para a busca de nossa identidade.

O Patriota está notando que as vezes, dentro da Ordem DeMolay, temos que escolher lados. E ultimamente, escolher um lado está muito aquém de defender uma idéia ou ideal.  Está se tornando uma briga mesquinha que a cada dia vai degenerando a Ordem DeMolay. E assim, lentamente, como ocorre nos Estados Unidos da América, ela vai acabando.

Anúncios

Aos projéteis de DeMolay

Os bons permanecem.

Quem segue princípios permanece.

Quem tem dentro de si “a chama que nunca cessa” prevalece.

Quem ama verdadeiramente a causa, prevalece.

Quem cuida, fica.

Quem luta, fica.

Li algo um dia que dizia:

“Nunca nos disseram que nossas lutas seriam fáceis, mas sim árduas. Nunca nos deram armas para lutar, mas nos colocaram na frente de todas as batalhas.”

Assim sendo, quem luta conquista. E quem já conhece os horrores da “guerra” sabe lutar com mais agilidade em outra guerra.

Continuando a frase:

“Nunca recuamos em nossas lutas.”

A persistência é o ingrediente principal da receita de “continuidade”. A Fé deve ser inabalável dentro de si.

“Porém nunca falamos para quem nos colocou na frente de batalhas que em nosso peito bate um coração (Verdadeiro) DeMolay.”

Quem tem dentro de si a essência de nossa Ordem vence qualquer batalha.

“Feito de aço. Forjado com nossa Honra e revestido com nossa Lealdade.”

Todos sabem o significado disso? Vocês que lêem sabem?

Colocam em prática, Honra, coração DeMolay, Lealdade?

Ah!!!

 

Lição n° 4:

 

Aos que brigam em seus Capítulos pela continuidade de princípios e verdade, que permaneçam sendo corretos e ajam com justiça.

Aos que brigam com o mundo profano, com o intuito verdadeiro de seguir parte do que é falado dentro dos Capítulos, tenha persistência em crer que não somos santos, mas podemos ser melhores. Homens de bem, jovens cidadãos de nossa Querida Nação.

 

É tudo uma questão de Fé, Amor, Tempo. E nada mais que Estado de Espírito, onde o DeMolímetro acusa: Espírito de Verdadeiro DeMolay.

 

Quem enxerga a bondade é porque têm a bondade dentro de si. Quem não a enxerga, ou enxerga o que é ruim é porque deve possuir as mesmas condições. Deplorável…quem sabe um dia seremos dignos dos olhares de todos os homens de bem?

 

O Reverente sabe dar tempo ao tempo, sabe rezar, sabe se defender, mas tem medo dos milhares que podem passar a crer que a Ordem não seja nada mais que outra ilusão. Eles talvez não saibam se defender dos que passam pela mesma Ordem, até porque não entendem ainda que quem não é DeMolay em Espírito, não permanece por muito tempo nas fileiras que lhe foram um dia confiadas. Por isso aconselho sempre: Fé, Amor, Tempo.

Amém.

  • Agenda

    • setembro 2017
      D S T Q Q S S
      « jan    
       12
      3456789
      10111213141516
      17181920212223
      24252627282930
  • Pesquisar