Novos começos…

“Você pode não escrever um novo começo, mas pode escrever novos finais…”

Não escrevi a frase ao pé da letra. Fiz a adaptação necessária para o assunto a abordar: finais…

Minha experiência como membro fundador de Capítulo me mostrou que, por mais difícil que fosse erguer um Capítulo, era praticamente impossível que alguém especificamente conseguisse derrubar um. Pois é, lembro das inúmeras vezes em que ficávamos preocupados de como seria o futuro, sem A ou sem B, com fulano de tal à frente do Capítulo. Fizemos previsões ótimas, assim como outras péssimas. E sobrevivemos. E o Capítulo também.

O problema nesse caso não é o final. O problema é quando se erra no começo. Volta e meia ouço alguém falando que está errado, mas que não vai dizer pra deixar quebrar a cara. Adoro ouvir isso. O sarcasmo que nunca existiu em mim, vejo transbordar em outra pessoa. Ela queira mesmo era estar ali, errando. É disso que sinto falta. Aprender com erros.

Se conseguissemos aprender cada vez que erramos talvez não fossem precisos novos começos. Aliás, se não fôssemos burros pra errar mais de uma vez, talvez nem fossem necessários novos finais…