Perfumes baratos

Cada vez mais tenho certeza que sou avesso à mudanças. Não que eu as ignore, até porque quase sempre nos moldamos e nos adaptamos às condições que a vida nos impõe. Só isso já se configura como uma mudança. O que me incomoda é o fato que algumas mudanças são deveras bruscas e sem explicação lógica…

Algumas pessoas tem memória seletiva. Outras memória fotográfica. Outras não possui sequer um fio de memória. E é isso que me entristece. Desmemoriadas coitadas, elas esquecem das posições e defesas ferrenhas que um dia já fizeram e açoitam os mais jovens com bombardeios de informações que possam transformá-los heróis. Heróis de quem, cara-pálida?

Espero que as pessoas continuem mudando. Só não quero ver a hipocrisia de seus conceitos tão dogmáticos caindo por terra enquanto eu, um pobre e mísero mortal, sigo os fluxos dos caminhos. Se você acredita numa coisa, você vai até o fim. Se você desiste, pelo que estou vendo, não é porque você mudou ou chegou ao fim. É porque, infelizmente, o caminho mais fácil é travestir-se das belas máscaras que a nossa sociedade tanto admira.

Pois bem. Estou disposto a deixar cair todas as máscaras. Desprovido delas (se é que eu tenho alguma) talvez alguém me dê razão e pare de odiar o “perfeitinho”. O Amoroso não quer o amor de ninguém. Também não quer que ninguém tenha pena dele. Apenas quer que sejam justos sempre e não ofendam a inteligência e a memória dele. Estas sim, ainda continuarão intocáveis ainda que caiam todas as máscaras…

Conceitos e opiniões são como perfumes baratos: voláteis e passageiros“.

Anúncios