Verdade?

Prezados Irmãos do CdPQ, voltei! Desculpem a ausência. Alguns dias enfrentando o Dark Side…

A reflexão que trago hoje é sobre a verdade. O filósofo Nietzsche apresentou um conceito que me parece o melhor para verdade

“Não há fatos eternos, como não há verdades absolutas”.

Realmente não há verdades absolutas, bem como não há pessoas que saibam de toda a verdade. Pois como o filósofo da citação crê, a verdade nada mais é que uma ponto de vista de um fato. E este ponto de vista é influenciado pelo tempo. Porém onde quero chegar com esse papo de verdade?

Freqüentemente na Ordem temos que encarar a verdade ou dize-la. Gostamos de encara-la? Ou de dize-la?

Estamos entre irmãos e por diversas vezes os irmãos nos pedem opiniões sobre ações que serão tomadas, como uma candidatura, uma disputa entre membros e tantas outras questões que nos aparecem eventualmente. Como agimos? Com o coração, em favor de nosso irmão e amigo. Ou então com a razão, em favor do bem da Ordem e do bem do próprio Irmão.

Esta encruzilhada nos é apresentada no nosso dia a dia. E como escolhemos agir?

Certa vez em uma festa, ouvi de uma amiga a seguinte frase: “Um pouco de mentira no relacionamento faz bem.”

Será que é só no relacionamento? Alias faz bem mesmo? Ou só adia situações complicadas no momento. Situações específicas que não sabemos lidar e vamos adiando, contando um mentira aqui ou omitindo uma opinião ali. Para que um dia finalmente a situação se resolva, geralmente da pior maneira. Ou então você omitindo novamente uma opinião para poder sair como o conciliador, amigo, pacífico.

Desde um bom tempo tenho preferido dizer a verdade, é um exercício difícil. Muitos sofrem a minha volta com isso, até aceitar a verdade, pois afinal ela doi. Mas e a mentira? E a omissão? Construiremos nossa vida em um alicerce de areia? As pessoas demoram e sempre demorarão para entender minhas ações, mas ao longo elas verão que foi o melhor.

Melhor um amigo dizendo seus defeitos que um inimigo seu. Alias que valor se dá a palavra de um inimigo? Todos nós temos defeitos, como tentar melhorar, buscar uma perfeição inatingível se não soubermos em que erramos?

“A verdade é filha do tempo, não da autoridade”. Francis Bacon

Então vamos dar tempo ao tempo e descobrir o que a vida ensina!

O Companheiro tem andado bem apreensivo e pensativo nos ultimos dias…

É para os garotos

Esse foi um dos finais de semanas inesqueciveis para a Ordem DeMolay. Tivemos Congresso Nacional em Cuiabá e Rio Branco( oO ).

Diferenças a parte, creio que ambos os congressos foram muito bons, novos MCNs, novas lideranças para guiar a Ordem. Porém o momento de maior frisson (Poxa!) no CNOD(Em Cuiabá), foi o momento em que o Ir. Paschal Alexander King Jr(Pat King), iniciado em 1968, disse em uma de suas falas, que definitivamente a Ordem não é para adultos e sim para os garotos.

O Ir. Pat, pode nos ensinar muito mais, com seus conhecimentos sobre Cavalaria, sobre o auge da Ordem DeMolay que ocorreu nas décadas de 60 e 70 nos EUA e é claro sobre politica na Ordem. Creio que inumeros irmãos tiveram oportunidades unicas de perguntar e tirar suas dúvidas com um Irmão que tem 40 anos de Ordem, que ocupou inumeras posições na Ordem, que teve o privilégio de conhecer 3 dos 10 originais.

Melhor foi ouvir que a Ordem no Brasil tem de fato cumprido com o pensamento de Frank Sherman Land, com o que sonhou nosso fundador. Na cavalaria tiramos dúvidas sobre origens e ensinamentos.

A ausência da Alumni, me fez retornar a frase do Pat que citei no inicio. E realmente a Ordem é dos garotos, sim, daqueles que tem entre 12 e 21 anos. E não dos Seniores DeMolays e dos Maçons. Os adultos apenas dão suporte e estrutura, deixando os garotos se resolverem.

Ver ao final o Ir. Pat chorar, foi gratificante, ver que por mais que tenham se passado 40 anos de Ordem para aquele homem, ainda sim ela lhe dá orgulho, ainda sim ela vale a pena. Alias sempre valerá. Em todos os momentos que tentaram questionar situações políticas ao Brother, ele dizia simplesmente: ‘É política’.

O interesse do Ir. Pat, reside na preferência da Ordem em si e não de suas vontades políticas ou de grupo. Isso é realmente ideológico e dificil de se atingir. Mas ele está ali, para todos verem, com 53 anos de vida e persistente no mesmo ideal que o nosso.

Espero que os irmãos pensem 2 vezes antes de abandonar a Ordem. Vamos refletir galera.

*************************

O Companheiro pede perdão por suas ausências. E promete procurar não falhar com seus compromissos.