Inovar para não desmotivar

Quanto tempo leva, depois de iniciado, um DeMolay para se afastar das atividades da Ordem?

Essa é uma pergunta um tanto inusitada e que deveria ser pauta de trabalho e reflexão por parte dos Capítulos.

É claro que existem vários fatores que contribuem para o afastamentos de DeMolays. A mudança de cidade para completar os estudos, o emprego, o namoro, a família. São várias coisas cotidianas que acabam fazendo o jovem relegar a Ordem a segundo plano. Mas existe um fator preocupante, que considero como problema chave: a desmotivação.

Muitos DeMolays deixam seus Capítulos por pura desmotivação. Não encontram mais oportunidades dentro das atividades capitulares e optam por deixar o grupo. De “complemento ao aprendizado”, a ordem passa a ser “ocupação de fim de semana” e depois passa para “empecilho dos sábados à noite”.  Não existe mais aquela excitação de antes das reuniões, a preocupação com a sucessão de lideranças ou a participação nos projetos do Capítulo. A coisa fica massante demais.

É por isso que os Capítulos tem que buscar um programa inusitado. Inovar, creio ser essa a palavra chave. A Ordem apresenta inúmeras oportunidades de trabalho, que devem ser exploradas ao máximo. Muitos Capítulos fazem a mesma coisa há anos: iniciam, passam de grau, fazem uma filantropia mais ou menos no fim do ano, dão posse  e recomeçam o ciclo. Depois que o jovem passa por isso umas três, quatro vezes, ele fica desmotivado.

Como já estamos no meio do ano, novas gestões estão se iniciando. Fica a dica para os próximos Mestres. Tentem inovar, busquem um programa diferenciado para suas gestões, arrisquem-se.  Por vezes, uma tentativa frustrada é melhor do que um comodismo. Pensem nisso.

O Patriota está sumido e ainda posta atrasado. Mas tropeçando vamos caminhando.

6 Comentários

  1. Li uma matéria sua sobre o MEPR. Resolvi comentar.
    Mas com medo que você não veja, por ser uma matéria mto antiga, vou postar aqui na mais recente. Ok? Um abraço.

    ——————————————-

    Olá, sou Frederico. Fiz parte do MEPR há alguns anos e concordo muito com o movimento deles, hoje por falta de contato estou distante.

    Acho que também posso tentar contribuir com a discussão. Serei breve.

    Realmente vocês que defendem a moral e a paz devem ter bons objetivos para a sociedade. Eu mesmo também defendo a moral e a paz. Na minha idéia de uma sociedade MORAL, os camponeses têm acesso irrestrito à TERRA em que trabalham. A terra não está concentrada na mão de uma meia dúzia de descendentes das capitanias. E na minha idéia de PAZ, não há fome, não há exploração, não há tráfico de drogas e armas na cara do Governo, que nada faz porque está atrelado ao interesse dos grandes traficantes – de colarinho branco.

    É nesse sentido que acho justa a luta dos camponeses e dos estudantes por uma sociedade mais MORAL e mais PACÍFICA. Não é necessário ser um “intelectual” para ser do MEPR, claro é sempre bom estudar e entender as coisas com mais clareza, mas isso não é uma necessidade. O socialismo é o nome que temos dado a uma sociedade em que a propriedade privada mude completamente, onde senhores não poderão ser donos de meio mundo, onde corporações transnacionais não terão mais poder político que o povo simples.

    Podemos mudar esse nome, podemos propor coisas novas, eu acho. Mas a reivindicação me soa justa. Se os DEMOLAY realmente lutam por PAZ e MORAL, terão que, mais cedo ou mais tarde, se atentarem para algumas coisas nessa nossa realidade que não andam muito bem. E terão que SE MOBILIZAR para mudá-las, caso realmente desejem a PAZ e a MORAL.

    A filantropia é uma forma de ajudar, mas enquanto as estruturas não forem mudadas, haverão sempre pessoas precisando de doações. E seres humanos não devem ser “coitadinhos necessitados”, mas sim seres AUTÔNOMOS, capazes de produzir sua própria dignidadade. É nesse sentido que o grupo DEMOLAY teria que propor MUDANÇAS POLÍTICAS, caso seja realmente a favor da PAZ e da MORAL, que é o que o MEPR faz.

    Estamos todos querendo um mundo melhor aqui, correto? Não há razão para nos agredirmos verbalmente.

    forte abraço.

    • Frederico, fico satisfeito com sua opinião. Gostaria de deixar bem claro que não sou opositor do MEPR. O que acontece é que muitos, que se dizem membros, destroem patrimônios públicos e promovem atos violentos. Mudar é preciso, mas por vias pacíficas, morais e cidadãs.

      Obrigado por acompanhar o Caí de Paraquedas.

      Saudações em DeMolay.

  2. Deleguem tarefas e resposabilidades!

  3. MEPR é uma bobagem!

    É melhor deixar essa porcaria pra quem tem tempo pra não fazer nada.

  4. Acrescento que a ODM enquanto for dirigida por pessoas com o pensamento voltado pro século dezenove, desistam de qualquer tipo de avanço.

  5. Meu Irmão, meu mestre !

    Sou membro do capítulo Pedro Marinho de Oliveira m°220, localizado no município de Marabá-Pará. Atualmente estou na condição de 1°Conselheiro.
    Lendo o teu texto sobre “Inovar para não desmotivar”, vi algo realmente verdadeiro. Gestões ingressam, gestões saem, e os capítulos trabalham sempre da mesma maneira, com um trabalho filantrópico no dia das crianças, uma grande festividade no dia dos pais ou no dia das mães. Isso faz com que os membros percam a vontade de frequentar, ficando somente aqueles que não querem ver tal capítulo fechar suas portas (certamente por amor).
    A inovação é necessária, pois o mundo está evoluindo, a Globalização não é mais um assunto do futuro e,sim, dos dias de hoje.
    Portanto, vamos procurar meios para fazermos com que a Ordem cresça. Vamos tratar de assuntos fiósóficos em nossas reuniões, usando a palavra não somente para agradecer a preseça de “fulano”. Se encontramos um texo interessante ou uma passagem de Cristo,de Buda, enfim, de um grande Pensador, porque não divugá-la em nossas reuniões. Isso nos motivo, isso nos une e, evidentemente, com a leitura, vamos cada vez mais crescendo espiritualmente.
    Que o sol que rege todos os cosmos possa nos comtemplar com tal brilho e Sabedoria, que possamos divulgar a nome de nossa ordem da melhor maneira. Procurando evitar constrangimentos banais, com por exemplo ; Demolay caído no chão por causa do álcool(ainda mais os menores de idade),Demolay fazendo uso de intorpecentes e outros meios que danifiquem o nome de uma ordem belíssima, que é a Ordem Demolay.

    Saudações,

    Magus Ayrton Moussallem
    Cel; 94-9187-2077


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s