O que vai fácil…

Se existe algo que nos faz todos realmente iguais é, na minha opinião, o livre arbítrio. Iguais e, exatamente na mesma medida, extremamente diferentes. Todos nós o possuímos e, ao utilizá-lo, traçamos nosso caminho de forma a nos diferenciar dos outros. E é o livre arbítrio que nos mostra o quanto valem nossas ações. Tenho passado por situações em que meu livre arbítrio tem colocado outras virtudes em xeque: honestidade, caráter, bom senso, fé… Cada um deles tem sido testados pelo meu poder de escolha: se é certo ou errado, se eu devo ou não, se prejudica a mim ou a outrem. Enfim, livre arbítrio é, ao meu ver, a única ferramenta que possuímos para treinar a nossa consciência.

A administradora do meu condomínio ligou dizendo que eu tinha um crédito com eles no valor de um mês de aluguel que, teoricamente, eu havia pago duas vezes no mesmo mês. Conhecendo-me como ninguém, desconfiei de que tratava-se de um erro de sistema, mas o “capetinha no ombro” já veio cochichar no meu ouvido que tal situação não poderia ter sido mais providencial. Racionalmente, fui procurar o mínimo de indícios que me fizessem ter cometido a proeza de pagar duas vezes um aluguel que, de tão caro que é, já é rachado com outra pessoa. Resultado: nada. Pesquisando nas minhas ridículas anotações financeiras, constatei que era financeiramente impossível que eu tivesse pago, mas ainda assim resolvi ir até a administradora me informar melhor. E o capetinha todo todo, achando que ia ganhar uma bolada.

Ao chegar lá, não consegui omitir o fato de que não tinha dois comprovantes e que a situação era absurda. Não houve peso na consciência ou medo, mas sim senso de responsabilidade e honestidade. Resultado: eu tenho, sim, um crédito com eles, mas é de um valor bem menor e, caso tivesse pego o dinheiro, a responsável pela “descoberta” teria que repor do próprio bolso depois. Ou, na melhor (ou pior, vá saber) das hipóteses, me pediriam o dinheiro de volta. E conhecendo-me como ninguém eu sei que passaria um paerto danado: em dois tempos já teria gastado tudo e só Deus sabe como iria repor toda a grana.

Seja com uma situação parecida com a minha ou em outras cujo livre arbítrio coloca nossa consciência contra a parede, aprendi há muito tempo atrás que tudo aquilo que vem fácil acaba indo fácil também. Não há sacrifício, não há esforço para conquistar um objetivo e, conseqüentemente, não há a valorização necessária do “resultado”. Em alguns casos há até mesmo um pouco de perda da legitimidade. E da mesma forma que a surpresa chega – surpreendente, prometendo mudar as nossas vidas – ela vai embora: surpreendente, prometendo mudar as nossas vidas. Afinal de contas, o erro foi tão bem sustentado que as pernas acabaram não dando conta do recado. E quanto maior a altura, maior o tombo.

*******

O capetinha no ombro dO Cortês já começou a fazer as malas para ir embora. E o anjinho no outro ombro ficou todo satisfeito: ele sabe que O Cortês pode ter perdido uma bolada, mas não há preço que pague sua integridade.

3 Comentários

  1. “Aquilo que o Homem semeia, virá a colher”, “Quem com ferro fere, com ferro será ferido”, “Não julgueis para não serdes julgado”, “Daí e vos será dado”.

    Cara, lendo este post veio um acontecimento recente que tive, estava eu saindo de mais um dia de aula quando derrepente acho um celular no chão (desligado), eu peguei o mesmo e ao ligá-lo veio uma ligação; atendi com o intuito de perguntar se o mesmo do outro lado da linha conhecia o dono do aparelho, mas nem deu tempo a moça começou a me xingar (ladrão…), eu esperei ela se acalmar e descrever como eu tinha achado… Ok, mesmo assim ela não acreditou, então perguntei a ela onde ela morava (estava), era longinho (uns 10KM), mas tudo bem meu irmão estava vindo me buscar de carro e pediria pra ele me levar lá; disse para ela esperar na frente da casa que iria levar pra ela o aparelho! Isso já era lá pelas 22:30Hrs, mas somente quando entreguei o aparelho na mão dela que ela me agradeceu, não pediu desculpas por ter me chamado de ladrão, mas tudo bem ela estava nervosa deixa prá lá, minha consciência a todo momento estava tranquila!
    Passou umas 2 semanas deste fato e a operadora de celular que uso a TIM me liga dizendo que eu já era cliente pré-pago a mais de 5 anos e me fez uma proposta de plano onde eu pago apenas 35R$ por mês e ganharia uma celular, ok escolhi um que estava 400R$, o meu era bem simples mesmo, e se eu podia ganhar um novo porque não aceitar né?! Sei que essas operadoras tem muitas “jogadas de marketing”, mas até o acontecido nenhuma havia me oferecido um celular de graça…
    Será que tal fato pode ser considerado uma ratificação à Lei do Karma!!??
    Creio que sim…

    “Daí e dar-se-vos-á: boa medida, calcada, sacudida, transbordando, vos porão no regaço; porque, à medida que usais, dessa tornarão a usar convosco.” (Lucas, 6:38)

  2. Já ia me esquecendo:
    _ Parabéns pela ação!

    Grande cortês, essa do capetinha e anjinho é boa!
    Parabéns pela ação!
    Cada dia admiro mais e tento seguir mais vossos ditames!

    BOA TERÇA-FEIRA A TODOS
    Sigamos com Deus

    • Meu caro Matheus, é como costumam dizer: “Deus nos fecha uma janela para nos abrir uma porta”. Nada na vida é em vão, acredite!

      E eu fico muito feliz em saber que minhas ações lhe servem de bons exemplos. Feliz e preocupado com o peso dessa responsabilidade, obviamente. Mas satisfeito em saber que, se você segue minhas “doutrinas”, é sinal de que ao menos você pondera bastante sobre suas ações. Portanto, quem merece os parabéns é você! 😉


Comments RSS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s