Cinzas…

Quarta-Feira de Cinzas, do Wikipédia:

quarta-feira de cinzas é o primeiro dia da Quaresma no calendário cristão ocidental. As cinzas que os cristãos católicos recebem neste dia é um símbolo para a reflexão sobre o dever da conversão, da mudança de vida, recordando a passageira, transitória, efêmera fragilidade da vida humana, sujeita à morte. Ela ocorre quarenta dias antes da Páscoa sem contar os domingos ( que não são incluídos na Quaresma); ela ocorre quarenta e seis dias antes da Sexta-feira Santa contando os domingos. Seu posicionamento varia a cada ano, dependendo da data da Páscoa. A data pode variar do começo de fevereiro até à segunda semana de março.

Alguns cristãos tratam a quarta-feira de cinzas como um dia para se lembrar a mortalidade da própria mortalidade. Missas são realizadas tradicionalmente nesse dia nas quais os participantes são abençoados com cinzas pelo padre que preside à cerimónia. O padre marca a testa de cada celebrante com cinzas, deixando uma marca que o cristão normalmente deixa em sua testa até ao pôr do sol, antes de lavá-la. Esse simbolismo relembra a antiga tradição do Médio Oriente de jogar cinzas sobre a cabeça como símbolo de arrependimento perante Deus (como relatado diversas vezes na Bíblia). No Catolicismo Romano é um dia de jejum e abstinência.

Como é o primeiro dia da Quaresma, ele ocorre um dia depois da terça-feira gorda ou Mardi Gras, o último dia da temporada de Carnaval. A Igreja Ortodoxa não observa a quarta-feira de cinzas, começando a quaresma já na segunda-feira anterior a ela.

Relembrar a nossa mortalidade? Vivemos como se nunca fossemos morrer e morremos como se não tivéssemos vivido. O ser humano é uma espécie estranha, levada por tantos pensamentos e sentimentos que não tem como descrever ele simplesmente. 

Desde o princípio ele é marcado por aqueles que o cercam, construindo dessa forma sua mentalidade e circulo social. A Ordem é uma excelente maneira de estreitar laços e amplia-los. Com a Ordem ganhamos novos amigos e irmãos em nossas causas.

E também na Ordem, vivemos nossos dias de lembrar que não somos imortais na Ordem e na vida. Por exemplo ao ver Cerimônias da Maioridade e ver aquele Senior Turrão deixar seu Capítulo.

Ainda não passei pela minha Cerimônia, mas já vi várias, é muito diferente. Devo passar pela minha esse final de semana. Acredito que será um momento único, como tantos outros que já presenciei e participei na Ordem. Vamos ver como será, né?

Que os Irmãos possam aproveitar seu tempo de DeMolay Ativo na Ordem de maneira digna, virtuosa e correta. E atingir uma maioridade de plenitude e contemplando um trabalho bem feito.

Semana que vem vamos falar sobre trabalhos bem feitos…