A imparcialidade do ser…

Post motivado de última hora… e finalmente algo que nos liga a profissão que inicialmente motivou a criação do CdPQ (jornalistas que podem não ser lidos pela grande mídia, mas lidos por um pequeno grupo)… pois bem, vou falar um pouco sobre imparcialidade…

Jornalistas de profissão, buscam incessantemente atingir uma posição de neutralidade que os mantenha afastados das fontes oficiais e extra-oficiais. Tomar partido significa posicionar-se contra alguém, o que elimina esse indivíduo como possível fonte futura. Dentro do jornalismo, é uma condição limitante e complicada de se lidar… e na Ordem DeMolay???

Ao exercer uma função ou um cargo específico, por mais motivações pessoais que tenhamos, elas não podem ultrapassar os limites pessoais e serem colocados à público. Principalmente quando o seu posicionamento pode vir a influenciar alguém ou um grupo. Tomar cuidado é essencial tanto quando se fala em política DeMolay quando envolve-se política “profana” (odeio essa terminologia). Depois eu completo o post que estou com pressa… mas como sugestão, procurem no Google por “o mito da objetividade”. Tem muito texto interessante relacionado à área de comunicação…

Até o próximo domingo… por falar nisso, a musa tá voltando ó…