Tantas emoções

Alor! ALOR? Alor! Tudo bem, pequenos?

Vocês já estão carecas (essa é pra você, demossauro!) de saber meu estilo, então lá vai mais política, eleição, etc e tal. Acho que isso tá aparecendo mais ainda por causa do momento e tudo que tem ocorrido nestas últimas semanas. Ah, se esse GMAIL falasse. E fica meu abraço pros ex-presidentes da alumni estadual das alterosas, povo bom de serviço que só! COF COF

Me estendi demais, bora lá… Alguém já parou pra pensar pra que precisamos dessa negada toda ocupando cargo? MC(insira aqui letra que corresponda a qualquer coisa), GM(idem), S(de secretário, ou seja, depois disso, pode enfiar qualquer coisa mesmo que o negócio aguenta, digo, cabe, digo, é válido) e lá vai um alfabeto partidário inteiro.

Minha visão é bem idealista: o cara que ocupa um cargo ou o almeja, o faz pelo bem geral. Por ter uma visão diferente e, por isso, idéias novas, conceitos novos. Esse cara quer mudar algo errado, quer mostrar o caminho certo (ou diferente). Enfim, é todo aquele papo de altruísmo do qual já falei quando toquei no assunto de candidatura.

Pra quem já trabalhou na estrutura da Ordem, no sentido de ocupar de fato um cargo que lide com diversos Capítulos, uma região, um estado ou mesmo o país todo, o recado é mais fácil de passar. O ponto é simples: tem que gostar demais. E esse gostar demais tem que vir carregado de uma vontade que é baseada na tentativa de melhorar as condições de trabalho no lugar onde a coisa toda tem que funcionar de verdade: no Capítulo. Essa é a razão de tantos projetos, tantas ligações, tantos encontros. Claro, existem outros motivos, mas o norte dessa vontade, dessa “ocupação” deve ser o bem-estar do outro, não o próprio.

Por isso, meus queridos, fiquem atentos a esses que aceitam um cargo por não ter mais ninguém. Esse povo é fadado ao fracasso. Tem que querer, que ter vontade, thelema. Ordem DeMolay não tem partido, não tem situação e oposição. Pelo menos não podia ter, se obedecem isso, são outros quinhentos. E fica meu abraço aos amigos das alterosas. “Quanta gente, quanta alegria.”

3 Comentários

  1. Pois é…gente querendo esse cargo…querendo aquele outro..ah sim: colar azul..isso o azul pq combina com os olhos.. *.*

    Nops…cargo é pra quem quer trablhar….chega de caça colares, chega de trabalho mal feito….um dia aprendi que não ha trabalho pior do que aquele de REPARAR o trabalho mal feito pelo outro. Corrigir trabalho alheio, é perca de tempo…

    Bora votar consciente?..ou senãoo..será um Deus nos acuda que só vendo!

  2. Empolgou, hein, Fiel? Hehehehe

    Concordo em gênero, número e grau, só discordo no ponto em que fala que estarão sempre fadados ao fracasso. Para toda regra, há uma exceção. E, às vezes, as cartas que estão na mesa valem muito para que um amador assuma (o que infelizmente alguns fazem com que dinossauros sejam empurrados guela abaixo dos jovens)….

    Tou com sono e não sei se consegui escrever o que estou pensando rsrsrsrsrsrs

  3. Hm… bem pensado! Vale a máxima de que toda unanimidade é burra, né… generalizar dessa forma como fiz cabe aí. Corrijo: “Esse povo é meio caminho andado ao fracasso”. hehehe

    Acho que ficou melhor!
    🙂


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s