Nascido pra isso?

Joguem as pedras, eu realmente mereço pelas semanas em que estive desaparecido. O problema é que o projeto de monografia tá acabando com o meu tempo antes de eu pensar em qualquer outra coisa – um problema para futuros planos DeMolay, devo assumir. Ok, vamos ao post.

***

Ouvi muita gente dizer que quem é DeMolay nasceu pra isso. É escolhido pela Ordem. Não entrou na Ordem por coincidência. E várias e outras formas de falar a mesma coisa.

Vejam bem, eu concordo até certo ponto. Expliquemos, meus amigos!

Antes de tudo, devo explicar a filosofia na qual acredito. Acredito em algo chamado lei do karma. Ação e reação. E NÃO, NÃO TEM NADA A VER COM AQUELE LIVRO DE AUTO-AJUDA “O SEGREDO”. O ponto é bem simples: nós somos responsáveis por aquilo que fazemos ou não e nosso futuro (destino?) é construído de acordo com nossas ações. Parece óbvio e de certa forma é. Mas a obviedade é quebrada por uma coisa chamada escolha. A escolha de um cursou ou outro, de puxar o gatilho ou não, de perdoar ou guardar rancor pra sempre. De fazer boas amizades. De ter um círculo de amigos legais. De entrar em contato com certas pessoas…  e, neste caso, de aceitar ou não passar pelo processo de entrada na nossa querida instituição: iniciar na Ordem DeMolay.

Muitos questionarão então como que certas pessoas iniciam e nunca mais voltam. Ou de como alguns fazem X ou Y de ruim, contrário àquilo que ensinamos. Bem, não é tudo questão de escolha? O caminho que leva alguém a iniciar na Ordem Demolay é um, o que o iniciado percorre é outro completamente diferente. Por isso temos graus, temos que seguir determinadas regras que estipulam períodos etc.

Digo, portanto, que acredito sim, que todos que somos DeMolays estávamos fadados a nos tornar DeMolay. Para o bem ou para o mal e eu prefiro acreditar que seja para o bem. Sou otimista por natureza e essa minha filosofia me fez ver as coisas de uma maneira mais tranquila, portanto, quis compartilhar com vocês. Desejo PAZ PROFUNDA aos meus fr… Irmãos para que, se não concordarem, vejam que pelo menos nisso estamos de acordo: a escolha de dizer sim ou não a que escrevo é sua.

🙂

Anúncios

3 Comentários

  1. Sinto uma filosofia Rosacruciana no ar.

    Tudo que acontece em nossa vida, tem um porque. As vezes não pode ter utilidade hoje, mas daqui há um tempo, daqui há anos talvez, aquele jovem que só foi em sua Elevação e nunca mais voltou vai se lembrar da Ordem. Vai se lembrar que ali ele aprendeu alguma coisa de importante.

    A Ordem DeMolay é uma sociedade. Há os bons e os ruins. Seríamos ingênuos se afirmássemos que só há bons na Ordem. Há aqueles de coração mais amargo e alma mais endurecida. O importante, é que os bons sempre ganham.

    Seria legal pensar no outro lado. Nós nascemos para a Ordem DeMolay, ou a Ordem DeMolay nasceu para nós?

    Paz Profunda meu caro Irmão!

  2. Somos fruto de nossas escolhas e disso não podemos fugir.

    PP.

  3. Depois deste post, O Reverente está perdoado por nos fazer esperar.
    (quem sou eu para julgar ou perdoar alguém!?)

    Ideais não são simplesmente “enfiados” na cabeça das pessoas. Por isso, aqueles que não se identificam com os ideais DeMolay, se dispersam. Melhor para a Ordem (pensando pelo lado positivo).


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s