Ser ou estar, eis o conflito!

Sabemos mais do que ninguém a singela diferença entre os verbos: Ser e Estar. Estudamos nas monótonas e repetitivas aulas de inglês, que o Verb to be significa “Ser ou Estar”, porém ele é variável. Sim, assim como seu significado, os verbos Ser e Estar, também variam no seu sentido.

Na Ordem DeMolay estes verbos estão cada vez mais presentes. Vemos muitos Capítulos preocupados com a QUANTIDADE de garotos, e começam então uma busca incessante por mais jovens, a ponto de entregar as Sindicâncias e darem o grito:

_Cooooooorre gente, pega qualquer um!

Tudo possui conseqüência. Nem sempre o “qualquer um” é (DO VERBO SER) um DeMolay. Todos podem ESTAR DeMolays, mas nem todos SÃO DeMolays.

Há em nossos Capítulos, DeMolays que são DeMolays dentro e fora dali. Assim como têm DeMolays que se fazem DeMolays dentro do Capítulo, mas fora… Ai ai!

Há DeMolays que adoram e tem veneração em se sentir o máximo portando capa, mas se esquecem que SER DeMolay é muito mais que isso.

Há DeMolays que prezam demais cargos, não falo só dentro dos Capítulos, falo agora também em âmbitos regionais, estaduais e nacionais, e esquecem do verdadeiro sentido do verbo SER. Os Cargos são temporários, e ESTAR neles também o é. Você nunca será um cargo, você apenas o ocupará e nada mais.

Agora, merecido mesmo, são os DeMolays que têm a noção singela do que é realmente SER um DeMolay, e assim sendo, esquecem e retiram de suas vidas a possibilidade de ESTAR DeMolay.

Ser DeMolay é desfrutar das boas coisas da vida, tendo como base não as 7 Grandes Luzes como um carma ou algo que nos martirize, isso é ESTAR DeMolay, até porque nenhum humano conseguiria viver retamente durante toda sua vida sob o raio das 7 Luzes que nos iluminam. Convenhamos!

Ser DeMolay é saber medir as ações, medir as palavras, entender que o que se faz hoje, tem conseqüência amanhã, independente de coisa boa ou má. Não falo apenas de sentimentos, ou alcoolismos, ou materialismo… eu falo de ações, benfeitorias a si e a outrem.

A Ordem DeMolay não pode exigir mais de vocês do que a certeza do completo entendimento de que ESTAR DeMolay é algo muito passageiro e que por isso, se continuarmos “Estando”, não chegaremos a lugar qualquer. Entendamos pois, que SER DeMolay é um estado de espírito, e isso permanece conosco, pois se somos, carregamos isso com a gente, onde quer que vamos. Então, independente de estarmos nos Capítulos ou nos Supremos, carregaremos conosco preceitos que nos serão eternos.

 

O Reverente não lhes pede nada mais do que esquecer o verbo ESTAR, e tentar ao menos praticar todos os dias a certeza do verbo SER.