Comendo e aprendendo

Todo DeMolay é bom de garfo. E não há jantar de cerimônia pública que reste depois de duas horas de reunião fechada + duas de pública, com a fome se acumulando no organismo adolescente com hormônios para dar e vender.

E já que eu sou um irmão muito bondoso (vide meu pseudônimo neste blog), vou ensinar para vocês a fazer o prato servido em 11 de cada 10 jantares DeMolay: STROGONOFF!!! Prato este que eu adoro, é facílimo e barato de fazer e você pode variar de várias formas. Confira:

*******

Strogonoff

Strogonoff

Ingredientes:

– 1Kg de carne cozida (de boi: patinho; de frango: peito) cortada em cubinhos (carne de boi) ou desfiada grosseiramente (frango);

– 1 lata de milho verde drenado (sem a água);

– 1/2 pacote de ervilha congelada (fica mais saborosa do que a enlatada, mas se não tiver pode ser);

– 1 vidro de palmito picado (dica: o vidro de palmito que já vem picado é muito duro. Sua mão não vai quebrar se você picar os palmitos, tá?);

– 1 pote pequeno de champignons (cogumelo) em conserva, cortados em fatias;

– 1 cebola média picada;

– 1 lata pequena de extrato de tomate ou 250ml de catchup (fica mais saboroso, mas encarece a receita);

– 1 caixinha de creme de leite;

– Água e farinha de trigo para o caldo;

– Óleo, tempero pronto e sal a gosto (adoro quando escrevem isso nas receitas).

Preparo:

Numa panela, refogue a cebola em um pouco de óleo e tempero (a quantidade de óleo varia, mas geralmente a gente faz tipo uma camada fina no fundo da panela; quanto ao tempero, varia de acordo com cada um. Comece colocando 1 colher de sobremesa rasa e depois acerte o sabor com o sal). Adicione a carne e o champignon (truque nº1), mexendo até a carne secar.

Incorpore o extrato de tomate e adicione água (± 750ml), adicionando em seguida o milho, a ervilha e o palmito. Deixe cozinhando em fogo baixo.

Enquanto isso, misture numa vasilha separada 2 colheres (sopa) fartas de farinha de trigo a 250ml de água. A visão não é das mais agradáveis: essa parte tende a sujar a cozinha, por isso adicione os ingredinetes aos poucos. Quando estiver com aquela cara de papinha de bebê, misture à panela que está no fogo e não pare de mexer. A farinha fará o caldo engrossar, o que dá uma textura mais cremosa ao prato (truque nº 2).

Quando tiver engrossado, prove e veja se precisa de mais sal. Acerte o tempero, deixe levantar fervura e, quando isso acontecer, desligue o fogo. Misture o creme de leite (ele é colocado nesse momento par anão talhar – truque nº 3) e sirva, acompanhado de arroz branco e batata palha. E com uma Coca-Cola trincando de gelada e uma mousse de maracujá de sobremesa você ganha o coração das tias, das primas e de todos os convidados da cerimônia pública!

Rendimento: 4 porções.

*******

Tá, O Cortês promete que escreverá algo menos “Ana Maria Braga” na próxima semana.